Ferrari diz que discutiu contrato com Senna

No último dia do encontro de integrantes da Ferrari com a imprensa internacional, nesta sexta-feira em Madonna di Campiglio, uma declaração de Jean Todt, diretor-esportivo da equipe, quarta-feira à noite, incendiou os jornalistas. O dirigente falava dos dez anos da morte de Ayrton Senna, qu serão completados dia 1º de maio. "Tive um encontro com ele, em setembro de 1993, em Monza, quando eu estava há poucos meses na Ferrari", disse. "Discutimos um eventual contrato a partir de 1995, mas que acabou não dando certo." Naquela época, a Ferrari era uma organização muito aquém das melhores, conforme sempre contou Gerhard Berger, que havia trocado a McLaren, equipe campeã, para competir com os italianos no fim de 1992. Senna tinha assinado com a Williams no fim de 1993 por três anos, o que o impediria de realizar seu sonho de correr pela Ferrari antes de 1997. Com isso, a Ferrari procurou Michael Schumacher, que se transferiu da Benetton para lá no fim de 1995, depois de conquistar o bicampeonato, em 1994 e 1995. Calendário - A 55ª temporada de Fórmula 1, programada para começar dia 7 de março em Melbourne, Austrália, será a mais longa da história. Nesta sexta-feira, os representantes das dez equipes inscritas no Mundial confirmaram, em Londres, o GP da França, dia 4 de julho, prova que estava ameaçada por causa de um atraso nos pagamentos a Bernie Ecclestone, promotor do evento. Com isso, serão 18 etapas este ano. Em 1950, quando tudo se iniciou, apenas sete corridas compunham o campeonato. O calendário da Fórmula 1 foi finalmente definido. E ao contrário do que se poderia supor, em razão da crise financeira explícita de várias equipes, colocando em risco até sua sobrevivência, haverá ainda mais provas que as de costume. Quando se trata de dinheiro, todas as bocas se calam na Fórmula 1, mas nesta sexta-feira, na Itália, dava-se como certa a distribuição de US$ 2 milhões por time em razão da etapa a mais incluída na temporada. Outros US$ 2 milhões serão destinados também para todas as escuderias como compensação por se deslocarem até o Canadá e seus patrocinadores tabagistas não poderem expor suas marcas. O governo aprovou uma lei proibindo a propaganda de cigarros. Três vezes as provas serão disputadas em domingos seguidos, sem intervalos. O calendário ficou assim: março, 7, GP da Austrália; 21, GP da Malásia; abril, 4, GP de Bahrein; 25, GP de San Marino; maio, 9, GP da Espanha; 23, GP de Mônaco; 30, GP da Europa (Nurburgring); junho, 13, GP do Canadá; 20, GP dos Estados Unidos; julho, 11, GP da Inglaterra; 25, GP da Alemanha; agosto, 15, GP da Hungria; 29, GP da Bélgica; setembro, 12, GP da Itália; 26, GP da China; outubro, 10, GP do Japão; 24, GP do Brasil. kart - Nesta sexta-feira, em Madonna di Campiglio, Michael Schumacher, Rubens Barrichello, Luca Badoer, piloto de testes, e Loris Capirossi, da Ducati, escuderia do Mundial MotoGP, realizaram uma corrida-show de kart no lago congelado no centro da vila de esqui. Todos são patrocinados pela Philip Morris, dona da marca Marlboro, promotora do evento. Cerca de 3 mil pessoas assistiram a um espetáculo extraordinário. Para evitar de os italianos começarem já a dizer Schumacher ganhou de Rubinho ou Rubinho foi mais rápido que o companheiro, os quatro pilotos cruzaram a linha de chegada praticamente ao mesmo tempo, lado a lado, de mão dadas. Depois de McLaren, Williams e Sauber, neste sábado será a vez de a Toyota apresentar seu modelo 2004, em Colônia, Alemanha, sua sede, e domingo a da Jaguar, em Barcelona. A Ferrari mostra seu novo carro dia 26 e a Renault, 29, ambas na Itália.

Agencia Estado,

16 de janeiro de 2004 | 18h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.