Ferrari diz que Felipe Massa pode deixar UTI nesta quarta

Brasileiro receberá ainda uma nova visita do presidente da escuderia italiana, Luca di Montezemolo

Ansa

29 de julho de 2009 | 09h23

MARANELLO - A Ferrari informa nesta quarta-feira que o quadro de saúde do piloto Felipe Massa está melhorado e que o brasileiro deve deixar até o fim do dia a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Militar de Budapeste.

Veja também:

especialEntenda como foi o acidente de Massa

mais imagens GALERIA DE FOTOS - Imagens do acidente

forum BLOG DO LIVIO - Leia mais sobre a F-1

Nesta manhã, Massa conversou um pouco, sentou-se e deu seus primeiros passos. Segundo a agência de notícias húngara MTI, o brasileiro também "pediu para comer, falou e mexeu a mão e a perna".

Na tarde desta quarta (horário da Hungria), espera-se outra visita do presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo, que pretende cumprimentar o piloto em nome de toda a escuderia italiana.

Por sua vez, o pai de Massa, Titônio, informou que o piloto pode deixar o hospital de Budapeste na quinta para ser transferido ao hospital dirigido pelo professor Gerard Saillant, em Paris.

Saillant, traumatologista e conselheiro da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), já tratou do piloto alemão Michael Schumacher e do atacante Ronaldo.

A agência MTI, no entanto, informa que talvez seja "necessária uma outra intervenção cirúrgica por causa da fratura no olho".

No último sábado, durante o treino classificatório para o GP da Hungria, Massa foi atingido na cabeça por uma peça que se soltou da traseira do carro de Rubens Barrichello, da Brawn GP. Com o impacto, o piloto ficou inconsciente e chocou a Ferrari contra a proteção de pneus da pista.

O brasileiro sofreu concussão cerebral e fratura no crânio. Na terça, os médicos retiraram os curativos de seu olho esquerdo, machucado no acidente, e o piloto conseguiu enxergar normalmente.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Felipe MassaFerrari

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.