Ferrari estréia motor mais econômico

A Ferrari vai estrear no GP do Canadá, domingo, uma nova versão do seu motor V-10. Até aí, nenhuma novidade. Regularmente, duas a três vezes por ano, as equipes de F-1 lançam novas versões de seus motores. O que é diferente, no caso da Ferrari, é que seu V-10 terá de consumir menos gasolina. Rubens Barrichello perdeu o GP da Áustria para David Coulthard, da McLaren, porque o motor Mercedes, mais econômico, ofereceu maior autonomia ao escocês. O mesmo pode ocorrer em Montreal. Na sexta-feira começam os treinos livres da 8ª etapa da temporada.Nas provas em que os pilotos fazem apenas um pit stop, como provavelmente será o GP do Canadá, os que podem permanecer mais tempo na pista têm vantagens sobre os que são obrigados a parar antes para reabastecer. Na corrida de Spielberg, Rubinho fez seu pit stop enquanto era líder. Coulthard completou três voltas a mais, sempre com tempos excepcionais, por estar com o carro bem mais leve. Quando fez sua parada, havia acumulado uma diferença de tempo que o permitiu deixar os boxes na frente de Rubinho e vencer a competição.Na última etapa do Mundial, em Mônaco, Coulthard saiu no fim do pelotão porque sua McLaren teve problemas com o sistema automático de largada. Mas deu para a Ferrari compreender que se não lhe tivesse ocorrido nada de anormal, dificilmente Schumacher venceria. No principado também quase todos fizeram um único pit stop. O alemão parou na 54ª volta, de um total de 78. Rubinho, na 59ª, e Coulthard apenas na 66.ª, a 12 da bandeirada. A maior autonomia do conjunto McLaren-Mercedes provavelmente garantiria ao escocês sair à frente do alemão após sua parada nos boxes.Por esse motivo Paolo Martinelli, diretor da divisão de motores da Ferrari, submeteu seu grupo a regime integral de trabalho depois do GP austríaco. Seu objetivo: fazer o V-10 italiano consumir menos. E em Montreal haverá um complicador a mais para a Ferrari: a Williams, também candidata à vitória.

Agencia Estado,

06 de junho de 2001 | 19h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.