Ferrari lança novo sistema de largada

Quando o primeiro treino livre do Brasil começar nesta sexta-feira, a Ferrari já terá sua força máxima: Michael Schumacher com o modelo F2002 e um novo sistema de largada. O objetivo é evitar que Schumacher e Rubens Barrichello não fiquem para trás com relação aos pilotos da Williams, logo depois de iniciada a competição, como nas duas primeiras corridas do ano. Foi por conta da maior eficiência do sistema automático de largada da Williams que, na disputa de posição com seus pilotos, na primeira curva, Barrichello na Austrália e Schumacher na Malásia acabaram se envolvendo em acidentes. O carro que o alemão começa a trabalhar sexta-feira é completamente novo. Trata-se do chassi 220, não utilizado nos testes de Barcelona, semana passada. Luca Badoer fez o shakedown, teste primário dos componentes, domingo, pouco antes de ser embarcado para o Brasil. Hoje no início da noite, enquanto chovia forte em Interlagos, os mecânicos concluíam sua montagem. Será também a estréia do novo motor 051. O modelo F2001B, a ser usado por Barrichello, ainda tem o motor 050, praticamente o mesmo que terminou com sucesso o campeonato passado, em Suzuka. Michael Schumacher já está no Brasil, possivelmente numa praia do Nordeste. Ele chega amanhã a São Paulo e às 14 horas está prevista uma entrevista com o líder do campeonato, na área de trás dos boxes da Ferrari. Barrichello participa amanhã às 11 horas da entrevista coletiva programada pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA). Hoje ele não esteve no circuito. O assessor de imprensa da Ferrari, Luca Colajanni, disse hoje que Barrichello não ficou tão desapontado com a decisão de a equipe definir que ele correria com o carro velho como a imprensa brasileira publicou hoje. A reação do piloto, ao repassar para Colajanni a responsabilidade pela explicação, não foi vista pela Ferrari, segundo o próprio assessor, como algo tão contundente como o retratado pelos jornalistas brasileiros. O GP do Brasil nem começou a ser disputado e a Ferrari já está planejando o GP de San Marino, etapa seguinte da temporada, dia 14, em Ímola. Schumacher e Barrichello irão treinar logo depois da prova de Interlagos em Fiorano e Mugello. Assim como em Interlagos, em 2001, a Williams mostrou-se mais rápida que a Ferrari no traçado Enzo e Dino Ferrari, em Ímola. Ralf Schumacher, do time inglês, ganhou a corrida até com alguma folga. A etapa de Ímola sempre foi considerada por Enzo Ferrari como a de sua casa, por ser na região da Emilia Romagna, a de origem da equipe. McLaren - Enquanto a Ferrari luta a partir de sexta-feira para reassumir a liderança do Mundial de Construtores, hoje com a Williams, com 22 pontos diante de 14 dos italianos, a McLaren começa sua dura missão de reerguer-se no campeonato. Kimi Raikkonen e David Coulthard, seus pilotos, já viram que o time terá de trabalhar muito para vencer a Williams e a Ferrari. A McLaren está em terceiro entre os construtores, com apenas 4 pontos.

Agencia Estado,

27 Março 2002 | 22h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.