Ferrari pede à Justiça francesa que anule novas regras da FIA

Tribunal de Paris analisará pedido dos italianos nesta terça-feira - eles alegam ruptura do Pacto de Concórdia

EFE

18 de maio de 2009 | 10h51

LONDRES - A escuderia Ferrari saberá nesta terça-feira se a Justiça francesa admite a denúncia apresentada contra a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) para anular o novo regulamento previsto para a próxima temporada, informaram nesta segunda-feira fontes judiciais.

Veja também:

tabela F-1: classificação do Mundial

especial Confira o calendário da temporada

especial ESPECIAL: jogue o Desafio dos Pilotos

Um tribunal de Paris estudará a partir das 11 horas (Brasília) a denúncia apresentada pela equipe italiana pela ruptura do chamado Pacto de Concórdia, que regulamentavam até agora a Fórmula 1.

A Ferrari decidiu ir aos tribunais depois que na sexta-feira passada terminou sem acordo a reunião de conciliação entre as equipes, agrupados na Fota, e o presidente da FIA, Max Mosley.

O principal ponto de desacordo se refere à intenção da FIA de limitar o orçamento de cada equipe a 45 milhões de euros, sem contar as despesas de patrocínio e o salário dos pilotos, já a partir de 2010.

A escuderia italiana chegou a ameaçar não participar do Mundial do próximo ano caso a FIA não flexibilizasse o calendário para introduzir esse teto orçamentário.

Diante da proximidade do prazo para inscrição no Mundial, que termina no próximo dia 29, a escuderia italiana decidiu ir à Justiça na França, onde foi assinado o Pacto de Concórdia.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1FerrariFIAMax Mosley

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.