Ferrari pessimista para GP da Espanha

A previsão é do próprio Michael Schumacher, da Ferrari, sétimo na primeira classificação do GP da Espanha, disputada neste sábado: "Deveremos ter outro fim de semana difícil aqui em Barcelona." A exemplo das provas da Malásia e de Bahrein, os pneus Bridgestone, usados pela equipe, não permitem a Schumacher e Rubens Barrichello, nono neste sábado, uma volta lançada das mais velozes, como se exige na classificação.Jarno Trulli, da Toyota, Fernando Alonso, Renault, e Kimi Raikkonen, McLaren, os três mais rápidos na primeira tomada de tempos, neste sábado, surgem como os maiores candidatos a vencer a corrida no Circuito da Catalunha, quinta da temporada. A Michelin, sua fornecedora de pneus, deu sinais até agora em Barcelona de estar da frente da Bridgestone.Raikkonen, apesar da terceira melhor marca, parece ser o que tem o carro mais veloz, como já era no GP de San Marino, há 15 dias. "Cometi um erro na curva 2, coloquei a roda um pouco para fora da zebra, e perdi meio segundo. É duro você ficar em terceiro sabendo que poderia ser meio segundo mais rápido", disse o finlandês.As diferenças entre os três primeiros foram de milésimos de segundo, o que poder ser um indicativo de que a luta pela vitória entre Toyota, Renault e McLaren deverá ser intensa, da mesma forma. Schumacher comentou, neste sábado, que apesar de o ritmo da Ferrari em classificação estar longe dos concorrentes mais diretos, em condição de corrida os desempenhos se assemelham. "Se não perder amanhã (08) mais posições no grid e largar bem, terei ainda alguma chance", previu o alemão. Já a situação de Rubens Barrichello é diferente, pior.Neste sábado a Ferrari precisou trocar o motor do seu carro. Com isso, dez posições seriam acrescentadas ao seu resultado final na classificação, definido neste domingo, pela manhã, com a segunda tomada de tempos. "Nosso problema voltou a ser na classificação, não temos velocidade. É uma pena, porque na configuração de corrida somos competitivos." Felipe Massa, da Sauber, apesar dos avanços da escuderia suíça em Ímola, lembrou que os 4.627 metros do traçado catalão sempre foram difíceis para seu carro, desde os testes de inverno. Neste sábado ficou em 11º, dentre os 18 que treinaram. A BAR está fora da competição. O GP da Espanha, em 66 voltas, tem transmissão ao vivo, da Rede Globo, e a largada será às 9 horas (horário de Brasília).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.