Divulgação
Divulgação

Ferrari revela o nome do seu carro para a temporada 2015

Segundo a escuderia, o nome SF15-T foi escolhido "pelo povo de Maranello". Apresentação oficial do modelo acontece na sexta-feira

Estadão Conteúdo

26 de janeiro de 2015 | 10h53

A Ferrari revelou nesta segunda-feira o nome do carro que o alemão Sebastian Vettel e o finlandês Kimi Raikkonen vão pilotar na temporada 2015 da Fórmula 1. Será o SF15-T, uma sigla que faz referência ao nome da equipe - Scuderia Ferrari -, ao ano e ao uso do motor turbo.

Ao contrário do que aconteceu no ano passado, quando promoveu uma votação pela internet para decidir o nome do seu carro, dessa vez foi a própria equipe que fez a definição, declarando que ele foi escolhido "pelo povo de Maranello (cidade italiana onde está a fábrica da Ferrari)".

O carro da Ferrari para a temporada 2015, agora com o nome definido, ainda não foi apresentado, o que acontecerá na próxima sexta-feira, online. Assim, a primeira aparição ao vivo do SF15-T será nos testes coletivos no circuito de Jerez, na Espanha, que começam no próximo domingo.

Recém-contratado pela Ferrari, Vettel vai pilotar o SF15-T nos dias 1º e 2 de fevereiro. Depois, será a vez de Raikkonen conduzi-lo. Depois, as equipes ainda farão dois períodos de testes coletivos, ambos no circuito de Barcelona, na Espanha, entre 19 e 22 de fevereiro e entre o dia 26 e 1º de março. A temporada 2015 será aberta em 15 de março com a realização do GP da Austrália no circuito de Melbourne.

Com o SF15-T, a Ferrari espera se recuperar da péssima temporada 2014 da Fórmula 1, quando não venceu sequer uma prova, subiu ao pódio apenas duas vezes e terminou o Mundial de Construtores na quarta colocação. Até por isso, a equipe passou por intensa reformulação, como Sergio Marchionne se tornar seu presidente e Maurizio Arrivabene passar a chefiar a equipe.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1FerrariSF15-TVelocidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.