Ferrari tenta explicar seus resultados

Desta vez, o diretor-esportivo Jean Todt não utilizou o site oficial da Ferrari para fazer apologia a uma conquista da equipe, como acontece há pelo menos três anos. Nesta terça-feira, sua preocupação foi tentar explicar as razões de o time, após duas etapas da Fórmula 1, estar apenas com 16 pontos, junto da Renault na segunda colocação, diante de 26 da McLaren.?Seguramente a McLaren evoluiu, mas nós também o fizemos com o nosso carro velho. Michael Schumacher estabeleceu sexta-feira, em Melbourne, um novo recorde?, escreveu o dirigente da Ferrari. Para Todt, velocidade não é o problema da escuderia. ?Também não dá para relacionar nossos resultados ao novo regulamento. Em Melbourne, fomos primeiro e segundo no grid.?A quarta posição de Schumacher na Austrália teve uma causa, para Todt. ?Choveu pouco antes da largada?, justificou. Tanto o alemão como Rubens Barrichello optaram por largar com pneus de chuva, mas com três voltas o asfalto estava seco. Quanto ao ocorrido na Malásia, Todt foi claro: ?Schumacher perdeu a corrida na largada?. A segunda posição de Barrichello, sem incomodar Kimi Raikkonen, mereceu esta análise: ?Rubens também se envolveu no acidente da segunda curva. Para evitar alguns carros, perdeu posições e em nenhum momento mais se viu em condições de lutar pelo primeiro lugar.? As palavras de Todt têm o mesmo teor das ditas por Schumacher, no último domingo. ?Seria um erro tirar conclusões a respeito da Ferrari, assim como é um erro falar que estamos em crise, como já chegaram a afirmar. As duas primeiras etapas tiveram circunstâncias excepcionais, além de nossos próprios erros.?A Ferrari mantém o cronograma de só estrear o seu novo carro, o F2003-GA, no GP de San Marino, dia 20 de abril. ?Seria estúpido rever nossos planos. O F2002 ainda é bastante eficiente.?, explicou Todt.Treinos ? Rubinho, com a F2002, ficou em quinto lugar nos treinos em Barcelona (1m17s750, 75 voltas), realizados nesta terça-feira. O piloto de testes da Ferrari, Luca Badoer, continuou desenvolvendo a F2003-GA, segundo o site da Autosprint, e fez o sexto tempo (1m17s822, 56) entre sete pilotos. Schumacher e Felipe Massa devem trabalhar apenas nesta quarta.O mais rápido do dia foi Marc Gené, da Williams (1m17s288, 48), seguido por Pedro de La Rosa, da McLaren (1m17s448, 68), e pelo brasileiro Cristiano da Matta, Toyota (1m17s531, 61).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.