Ferrari vai analisar problema no pitstop de Massa

Equipe cometeu erro durante parada nos boxes e tirou a chance de o brasileiro vencer o GP de Cingapura

Alan Baldwin, REUTERS

29 de setembro de 2008 | 14h42

A Ferrari vai revisar seu sistema eletrônico de luzes no pitstop depois que um erro humano custou a vitória a Felipe Massa no Grande Prêmio de Cingapura, no domingo, causando um grande golpe nas esperanças de título do piloto brasileiro. Veja também: Fórmula 1 - Classificação Confira os batidores da F-1 no blog do Lívio OricchioFerrari fala em três dobradinhas para dar título a Massa Massa admite: não era para ir bem em CingapuraAlonso surpreende e vence GP com trapalhada da Ferrari O "GP trapalhão" da FerrariMassa, que começou a corrida na pole position, foi de primeiro a último depois do erro grave nos boxes. Ele terminou a prova em 13.°, e não pontuou. O diretor da equipe, Stefano Domenicali, explicou depois da corrida que um mecânico da Ferrari havia dado a luz verde a Massa na hora errada, enquanto a mangueira de abastecimento ainda estava conectada ao carro. Os sinais de luz são normalmente conectados a um pino na mangueira de abastecimento, indicando ao piloto que ele pode sair assim que a mangueira estiver desacoplada. No entanto, como haviam carros transitando pelos boxes enquanto o "safety car" estava na pista, a Ferrari trocou o sistema automático das luzes para a operação manual e o erro do mecânico foi dar o sinal verde de "siga" antes da hora. "Nós não estávamos usando o sistema eletrônico, ele estava sendo operado manualmente", disse Domenicali ao site da Ferrari. "Quando há muitos carros entrando nos boxes em uma situação de safety car, é melhor ter o sistema trabalhando manualmente", acrescentou. "Você pode controlar a luz verde, e infelizmente, houve um erro. Vamos analisar o que fizemos em outros paradas nos boxes". A Ferrari é a única equipe que utiliza o sistema de luzes para determinar a saída dos carros dos boxes, enquanto os outros times ainda usam os convencionais "pirulitos", segurados por mecânicos na frente dos carros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.