EFE
EFE

FIA aposenta número 17 na Fórmula 1 em homenagem a Bianchi

Piloto faleceu nesta sexta-feira após nove meses em coma

Estadão Conteúdo

20 de julho de 2015 | 12h54

O número 17 não será mais visto nos carros que participam das provas da Fórmula 1. Nesta segunda-feira, a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) anunciou a decisão de aposentar o número em uma homenagem ao piloto francês Jules Bianchi, cujo funeral será realizado nesta terça-feira.

Bianchi correu com o 17 no seu carro em 15 corridas da temporada 2014 da Fórmula 1, ano em que os pilotos passaram a ter o direito de escolher com qual número desejavam competir. A decisão foi anunciada nesta segunda-feira por Jean Todt, o presidente da FIA. A federação avaliou que este foi "um gesto apropriado".

O piloto francês, de 25 anos, morreu na última sexta-feira, em razão das complicações provocadas pelos ferimentos na cabeça sofridos em um acidente durante a última edição do GP do Japão. Ele estava em coma desde 5 de outubro, quando se acidentou - o francês bateu com a sua Marussia no trator que retirava o carro de outro piloto, o alemão Adrian Sutil, que havia deixado a prova pouco antes.

O funeral de Bianchi será realizado em Nice, a sua cidade natal, na Cathédrale Sainte-Réparate. A expectativa é para que estejam presentes dirigentes da equipe Marussia, além de Todt e do seu filho Nicolas, que era o empresário do piloto francês.

Homenagens também são esperadas para o GP da Hungria, que será realizado no próximo fim de semana, incluindo da Ferrari - ele era membro da Academia de Jovens Pilotos da equipe italiana e tinha um seu nome cogitado para receber uma oportunidade como titular em um futuro próximo.

Bianchi competiu em 34 corridas durante as temporadas de 2013 e 2014, marcando os primeiros pontos da história da Marussia na Fórmula 1 ao terminar em nono lugar no GP de Mônaco do ano passado.

Ele foi o primeiro piloto a morrer em função de ferimentos sofridos em uma corrida de Fórmula 1 desde o falecimento do brasileiro Ayrton Senna, dono de três títulos mundiais, no GP de San Marino de 1994.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.