Fernando Bizerra Jr. / EFE
Fernando Bizerra Jr. / EFE

FIA confirma que Charles Leclerc perderá 10 posições no grid do GP do Brasil

Em busca do terceiro lugar geral, piloto monegasco usará o quarto motor da temporada em Interlagos

Felipe Rosa Mendes, Estadão Conteúdo

15 de novembro de 2019 | 14h56

O monegasco Charles Leclerc vai perder 10 posições no grid de largada do GP do Brasil de Fórmula 1. O piloto da Ferrari sairá longe da pole position porque será punido por utilizar motor novo no autódromo de Interlagos, em São Paulo, neste fim de semana. A corrida está marcada para as 14h10 deste domingo.

Pelas regras da Fórmula 1, cada piloto pode usar apenas três motores por temporada. Leclerc, uma das sensações do campeonato, usará o seu quarto. O piloto de 22 anos contará com uma nova unidade de potência por causa dos problemas mecânicos que enfrentou em Austin, na etapa anterior, disputada nos Estados Unidos.

"Charles vai receber uma nova unidade de potência por causa dos danos causados ao seu motor em Austin", explicou Mattia Binotto no início da semana, referindo-se a um vazamento de óleo no carro do piloto de Mônaco. "Lá ele precisou usar um motor antigo e menos potente no sábado e no domingo". Para o chefe de equipe da Ferrari, a perda de posições no grid será compensada pela maior potência do novo motor.

Nos Estados Unidos, Leclerc fez boas exibições nos treinos livres, mas não passou do quarto lugar na corrida. Em solo brasileiro, ele segue na disputa direta com o holandês Max Verstappen pela terceira colocação geral do campeonato. No momento, o piloto da Ferrari soma 249 pontos, contra 235 do rival da Red Bull.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.