FIA crê em acordo com montadoras

O presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), o inglês Max Mosley, afirmou neste sábado em Mônaco não acreditar na criação de um campeonato paralelo de F-1, bancado pelas montadoras que investem na modalidade. "Tenho certeza de que se chegará a um acordo." Para Mosley, o número de problemas com o sistema automático de largada, atualmente, "prova que ninguém o usava antes da liberação, na Espanha." O dirigente lembrou ainda que a FIA não tem mais nada a ver com a comercialização da F-1. "Vendemos todos os direitos para a Slec (holding que gerencia os direitos de TV do evento, cujo maior acionista é o alemão Leo Kirch).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.