FIA decide não punir Lewis Hamilton por acidente no Japão

Após assistir um vídeo de torcedor, entidade conclui que inglês não interferiu na batida de Vettel e Webber

05 de outubro de 2007 | 09h52

Os comissários da Federação Internacional de Automobilismo FIA) decidiram, nesta sexta-feira, absolver o piloto inglês Lewis Hamilton, da McLaren, por seu comportamento no Grande Prêmio do Japão, realizado no último domingo, no Circuito de Monte Fuji. Veja também: O que Hamilton precisa fazer para ser campeão Classificação do Mundial Leia mais no Blog do Lívio Raikkonen faz o melhor tempo na 2.ª sessão na China Massa: 'todo mundo quer que Hamilton seja o campeão' Hamilton foi acusado de ter provocado um acidente entre os pilotos Sebastian Vettel, da Toro Rosso, e Mark Webber, da Red Bull. O inglês teria reduzido a velocidade de maneira brusca quando estava atrás do safety car, na volta 46. Isso teria provocado a colisão dos rivais, que não conseguiram parar. A FIA concluiu, após analisar imagens gravadas por um torcedor na arquibancada, que o inglês não influenciou na batida. Desta maneira, Hamilton continua com boas chances de conquistar o título já neste domingo, no GP da China - ele precisa ganhar a prova. Hamilton, que foi ouvido pela FIA, havia declarado à imprensa européia que poderia até abandonar a categoria se fosse punido. O inglês, de 22 anos, disputa sua primeira temporada como profissional. Por sua vez, o alemão Vettel, que havia perdido 10 posições no grid de largada para a prova de Xangai por causa da batida no Japão, acabou tendo a pena revertida e não sofrerá nenhuma sanção. A corrida em Xangai, penúltima prova da temporada, acontece neste domingo, às 3 horas da manhã, com acompanhamento ao vivo do estadao.com.br.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Lewis HamiltonFIAMcLaren

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.