FIA decide nesta segunda sobre acidente envolvendo Nelsinho

Começou nesta segunda-feira, 21, na sede da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), em Paris, uma audiência sobre a denúncia de que o ex-piloto da Renault Nelsinho Piquet recebeu ordens para bater deliberadamente seu carro durante o GP de Cingapura do ano passado.

Associated Press,

21 de setembro de 2009 | 08h24

 

O Conselho Mundial de Esportes Motorizado - instância decisória mais elevada da FIA - deve anunciar seu veredicto ainda nesta segunda-feira.

 

A escuderia francesa é acusada de ter mandado Nelsinho bater para no GP de Cingapura para ajudar seu colega de equipe Fernando Alonso. A introdução do safety car na 13ª volta após a colisão de Nelsinho ajudou Alonso com a corrida, já que ele havia acabado de fazer um pit stop antecipado e ganhou posições quando os outros carros tiveram que parar para abastecer.

 

Alonso, que negou por diversas vezes que tinha algum conhecimento da manobra, compareceu à audiência ao lado de Nelsinho, que recebeu imunidade no caso em troca de seu testemunho. A Renault pode ser banida, penalizada ou até excluída do campeonato mundial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.