FIA esclarece regulamento da F-1

A Federação Internacional doAutomóvel (FIA) esclareceu nesta quarta-feira a aplicação doregulamento sobre a duração do motor para dois Grandes Prêmios daFórmula 1. A entidade resolver fazer uma distinção clara entre "não poder terminar" e "decidir não terminar" uma corrida. Apesar disso, a medida não vai evitar que as escuderias continuem escolhendo quando trocar o motor. No Grande Prêmio da Austrália, o alemão Michael Schumacher mudouo motor do carro para a segunda sessão de classificação e para a corrida eacabou penalizado com a perda de dez posições no grid de largada. Apena só não foi tão grave porque seu tempo nos treinos declassificação o relegava às últimas posições. Durante a corrida, depois da colisão com seu compatriota NickHeidfeld, da Williams, ele perdeu a roda traseira esquerda e optou,ao não ter nenhuma boa chance de somar pontos, por deixar a prova, eassim ter a possibilidade de utilizar na Malásia o motor daAustrália com apenas 200 quilômetros ou um novo. Já o britânico Jenson Button e o japonês Takuma Sato, ambos daescuderia BAR-Honda, que não estavam classificados entre os oitoprimeiros, deixaram a etapa na última volta para poder dispor de ummotor novo na Malásia. A FIA divulgou um comunicado no qual ressalta a regra sobre autilização dos motores: "Cada piloto não pode usar mais de um motorpara duas corridas consecutivas. Se for necessário que um pilotoutilize outro motor, perderá dez posições no grid de saída e nãopoderá utilizar outro até o final corrida seguinte. Se um piloto nãoconseguir terminar a primeira corrida, pode utilizar um novo nasegunda, sem incorrer em penalização". Em seu comunicado, a FIA considerava que não terminar a prova jáera uma penalização suficiente, mas depois do ocorrido na Austrália,agora distingue entre "não poder terminar" e "decidir não terminar".A primeira delas é de forma acidental, enquanto a segunda é de formavoluntária. Agora, para assegurar a interpretação correta do regulamento, "sea razão do abandono não for completamente clara na primeira das duas corridas, comissários esportivos poderão convocar paradeclarações a equipe e o piloto, para que esclareçam ascircunstâncias do abandono".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.