Jaro Munoz/EFE - 20/2/2010
Jaro Munoz/EFE - 20/2/2010

FIA intima Alonso a pedir desculpas por acusações

Espanhol se diz incompreendido por dizer que Hamilton havia sido favorecido no GP da Europa

AE, Agência Estado

30 de junho de 2010 | 16h02

Três dias depois de acusar a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) de favorecimento ao piloto inglês Lewis Hamilton, da McLaren, no GP da Europa de Fórmula 1, realizado no último domingo em Valência, o espanhol Fernando Alonso, da Ferrari, teve que pedir desculpas publicamente à entidade nesta quarta-feira. Sob o risco de não poder disputar o GP da Inglaterra, no próximo dia 11, no circuito de Silverstone, o bicampeão do mundo se retratou em um comunicado oficial da escuderia italiana.

"Tive uma reação emocional. Pronunciei coisas fáceis de serem interpretadas equivocadamente, dando margem a suspeitas de manipulação, o que em nenhum momento tive a intenção de sugerir", afirmou Alonso, que teve de se explicar mais: "Os comissários precisaram tomar decisões difíceis. Os pilotos que como nós respeitaram as regras sofreram mais do que os não as acataram, apesar de serem punidos. Não me referi a nenhum piloto em particular, mas de uma maneira geral. Penso que todos devem conversar com calma sobre o ocorrido para evitar que acontecer novamente", terminou a nota.

Após chegar em oitavo lugar na prova do último domingo, e ver Hamilton com a segunda colocação, Alonso denunciou - em entrevistas em inglês, italiano e espanhol - que o rival inglês fora beneficiado em decisões dos comissários da FIA no GP da Europa.

Por causa do grave acidente sofrido pelo australiano Mark Webber, da Red Bull, o espanhol, que estava em terceiro lugar naquela altura da prova, acabou atrás do safety car e teve que dar uma volta em velocidade lenta, enquanto que Hamilton, o segundo colocado, ultrapassou o carro de segurança um pouco antes na saída dos boxes, deu uma volta rápida e fez seu pit stop.

O espanhol reclamou pelo rádio que o inglês havia feito uma manobra ilegal e pediu uma punição. Meia hora depois, os comissários deram apenas um drive through - passagem lenta pelos boxes - para Hamilton, que cumpriu a pena e não perdeu o segundo lugar na prova. O alemão Sebastian Vettel, da Red Bull, ganhou a corrida.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1FIAFerrariFernando Alonso

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.