Paul Chiasson/AP
Paul Chiasson/AP

FIA mantém punição a Vettel e Hamilton segue com a vitória no GP do Canadá

Alemão terminou a prova em primeiro, mas perdeu cinco segundos por manobra considerada ilegal que atrapalhou britânico

Redação, Estadão Conteúdo

21 de junho de 2019 | 13h06

A Ferrari não teve sucesso na sua tentativa de reverter o resultado do GP do Canadá, a sétima etapa da temporada de 2019 da Fórmula 1, realizada no último dia 9, em Montreal. Após reunião realizada nesta sexta-feira em Paul Ricard, onde acontecerá o GP da França neste domingo, os comissários da FIA decidiram manter a punição de 5 segundos ao alemão Sebastian Vettel, mantendo a vitória do inglês Lewis Hamilton, da Mercedes.

O tetracampeão mundial conquistou o triunfo na pista de Montreal, mas a Ferrari pediu uma reavaliação da penalidade imposta a Vettel por retorno perigoso ao traçado após escapada na chicane do circuito Gilles Villeneuve. A tentativa foi em vão porque, segundo a FIA, "não há novos elementos relevantes que não estavam disponíveis para as partes no momento da competição em questão".

No prova, Vettel vinha liderando a corrida e sendo pressionado por Hamilton, quando errou na entrada da curva 3 na volta de número 48 e cortou pela grama, voltando ao traçado na sequência e espremendo o rival. Os carros da Ferrari e da Mercedes não se tocaram, mas os comissários entenderam que o alemão conduziu o carro de maneira perigosa no retorno ao asfalto e decidiram por uma sanção de cinco segundos.

A entidade que comanda o automobilismo mundial revelou que dos sete itens que a Ferrari apresentou como prova para o pedido de revisão, cinco estavam "disponíveis antes do final da competição". Uma análise de vídeo realizada por Karun Chandhok para a Sky Sports F1 também foi oferecida pela escuderia italiana, mas considerada "nova, mas não significativa e relevante, já que se tratava de uma opinião pessoal de terceiros".

A FIA declarou também, em sua decisão, que outro vídeo, da câmera voltada para Vettel e liberado pela Fórmula 1 depois da corrida, também foi considerado algo novo, mas não significativo e relevante porque "as evidências contidas neste vídeo podem ser vistas em outros vídeos disponíveis".

As evidências apresentadas que os comissários afirmaram ter disponíveis ao tomar a decisão foram a análise dos dados de telemetria do carro de Vettel, análise de vídeo de várias câmeras e a análise dos dados da linha de corrida no GPS de Hamilton e do alemão nas voltas anteriores.

Assim, o pentacampeão mundial mantém a vitória no Canadá e segue disparado na liderança do Mundial, com 162 pontos. Já Vettel estaciona nos 100, mantendo-se na terceira posição. O finlandês Valtteri Bottas, também da Mercedes, é o segundo com 133.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.