FIA pede investigação sobre insultos racistas na Espanha

A Federação Internacional deAutomobilismo (FIA), órgão que comanda a Fórmula 1, ameaçouimpor sanções rigorosas contra os circuitos espanhóis caso serepitam as ofensas raciais lançadas contra o piloto LewisHamilton, da McLaren, em Barcelona, neste fim de semana. "A FIA ficou surpresa e desapontada com as ofensasdirigidas a Lewis Hamilton", afirmou um porta-voz. A entidadeordenou a realização de um relatório completo sobre oincidente. "Ofensas desse tipo significam uma afronta clara aosprincípios incorporados aos estatutos da FIA. E quaisquer novasofensas resultarão em graves punições." Hamilton, o primeiro piloto negro da Fórmula 1, quedisputou o título da competição em 2007 em meio a um fantásticoano de estréia no qual venceu quatro corridas, foi xingado porespectadores espanhóis no Circuito da Catalunha. Vários jornais espanhóis disseram que o piloto britânico,23, foi vaiado e insultado nas vezes em que saiu dos boxes, nosábado. O correspondente do jornal esportivo Marca afirmou terouvido claramente gritos de insultos, como "negro de m...",vindos de grande parte dos torcedores. "A forma como ele está sendo tratado não é correta",afirmou o diretor de testes da McLaren, Indy Lall, segundo umapublicação. A Federação Espanhola de Automobilismo condenou, em nota, oato de racismo. A Espanha deve realizar dois grandes prêmios neste ano, aetapa espanhola no Circuito da Catalunha, em abril, e o GrandePrêmio da Europa em um novo circuito de rua de Valença, nofinal de agosto. As equipes de Fórmula 1 também usam o circuito RicardoTormo, de Valença, e o de Jerez para a temporada de testes queantecede o campeonato. A McLaren correrá em Jerez entre os dias 12 e 14 defevereiro. Apesar de a FIA não ter especificado as eventuais sanções,qualquer um desses circuitos pode perder seu lugar nocampeonato se os responsáveis pelas provas não conseguiremevitar a ocorrência de novos ataques racistas do tipo. Hamilton tornou-se alvo de insultos na Espanha por causa deseu embate com o ex-companheiro de equipe Fernando Alonso, opiloto espanhol hoje contratado pela Renault. Alonso, duas vezes campeão mundial, reclamou na temporadapassada do fato de a McLaren estar supostamente favorecendoHamilton e desentendeu-se com a equipe quando não recebeu umtratamento especial conforme exigia. A McLaren não mencionou os incidentes ocorridos emBarcelona na declaração que divulgou após os testes. "A McLaren realizou provas e testes nos circuitos espanhóisdurante muitos anos e todas as pessoas ligadas à equipe, entreas quais Lewis, vêem a Espanha e o povo espanhol com muitocarinho", disse uma porta-voz. Nos últimos anos, vários incidentes de ódio racialocorreram no mundo dos esportes na Espanha, com destaque para ofutebol. (Reportagem adicional de Simon Baskett em Madrid)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.