Jens Buettner/EFE
Jens Buettner/EFE

FIA prefere conversar com equipes a brigar, diz presidente

Mosley nega haver qualquer 'problema pessoal' em suas relações com Flavio Briatore e Luca di Montezemolo

ALAN BALDWIN, REUTERS

21 de junho de 2009 | 11h22

SILVERSTONE - A FIA pode postergar o processo contra a Ferrari e outras equipes que planejam uma nova categoria na Fórmula 1 dependendo do andamento das conversas, disse Max Mosley, presidente da entidade organizadora do esporte, neste domingo.

Veja também:

linkEcclestone diz que times da F-1 não devem ter teto para gastos

som PODCAST - Livio Oricchio avalia a crise dos chefões

linkVettel vence em dobradinha da Red Bull na Inglaterra

tabela F-1: classificação do Mundial

especial Confira o calendário da temporada

especial ESPECIAL: jogue o Desafio dos Pilotos

"Acho que preferimos conversar a brigar", disse ele aos repórteres no Grande Prêmio da Inglaterra, quando indagado se é possível que um mandado seja emitido na segunda-feira.

Mosley fez uma breve visita a Silverstone na sexta-feira e não pretendia comparecer à corrida deste domingo, mas voltou aos boxes com o chefe da F-1 Bernie Ecclestone e Flavio Briatore, chefe da Renault, um dos que pressionam pela criação da categoria rival.

A Fia declarou na sexta-feira que "iniciará procedimentos legais sem demora" contra a campeã Ferrari e a Associação de Times da Fórmula 1 (Fota, na sigla em inglês).

As oito equipes da Fota anunciaram na quinta-feira que vão dar início às preparações de seu próprio campeonato depois que as conversas com a FIA sobre as regras para 2010 fracassaram.

Mosley disse que uma solução ainda é possível. "Estamos conversando com as pessoas o tempo todo. Tudo vai voltar ao normal, é só uma questão de quando."

"Acho que um acordo está muito próximo, que o que divide as equipes e nós é pouca coisa e que podemos nos sentar e aparar as arestas rapidamente, dissemos a eles que estamos prontos para isso. Eles podem levar um tempo para chegar ao ponto que desejam, mas quando isso acontecer estaremos prontos."

Mosley negou haver qualquer "problema pessoal" em suas relações com Briatore e Luca di Montezemolo, presidente da Ferrari. "Montezemolo e eu nos conhecemos há quase 40 anos e me dou bem com ele pessoalmente", disse ele.

"Flavio é ótima pessoa, mas obviamente às vezes, com algo complexo como a F-1, você pode ter desentendimentos sobre como as coisas funcionam no esporte. Mas pessoalmente sempre nos demos bem. Hoje de manhã cheguei no helicóptero de Flavio," acrescentou o britânico.

Mosley rendeu manchetes nos jornais no domingo por comentários em que descreveu alguns dos times da Fota como 'lunáticos'.

Ele esclareceu o comentário, dizendo que "dividimos as equipes em dois campos, que são os moderados que querem conversar e entrar em acordo e o que chamamos de os 'lunáticos' que não parecem querer um acordo".

"É mais uma piada do que outra coisa", acrescentou ele. "Não acho que são loucos literalmente, mas acho que são pouco equilibrados em sua abordagem."

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1FIAFotaMax Mosley

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.