FIA vai lançar campanha anti-racismo no GP da Espanha

Decisão é tomada depois das ofensas sofridas pelo inglês Lewis Hamilton, da McLaren, em testes em Barcelona

ALAN BALDWIN, REUTERS

13 de fevereiro de 2008 | 12h54

A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) pediu a equipes, pilotos e donos de circuitos que apóiem a campanha "Correndo contra o Racismo", a ser lançada no Grande Prêmio da Espanha, em abril. A decisão vem depois de abusos contra o piloto da McLaren Lewis Hamilton, o primeiro negro na categoria, por espectadores espanhóis durante testes recentes em Barcelona.  O mesmo circuito da Catalunha recebe o GP da Espanha em 27 de abril. A FIA alertou às autoridades e espanholas e aos circuitos depois desse incidente que as duas provas no país -- a outra é em Valência em agosto-- podem correr risco se houver uma repetição. "A Fórmula 1 é um esporte global, multicultural e nunca teve cenas como essa antes e não vai tolerá-las no futuro", disse a FIA em comunicado. "O automobilismo internacional pode chegar a um público global e enviar mensagens positivas sobre igualdade racial e esportiva", disse. "Nós vamos estimular todos os envolvidos com o automobilismo para apoiar nossa nova campanha, desde recentes campeões mundiais à próxima geração de possíveis campeões na base do nosso esporte." Um porta-voz da McLaren disse que a equipe aplaude a iniciativa e a apóia "de todas as formas que puder". A temporada começa em Melbourne, em 16 de março.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.