Filho de Todt estuda futuro de Massa

Nicolas Todt, filho de Jean Todt (diretor-geral da Ferrari), tem trânsito livre na Fórmula 1. Dono de uma equipe de GP2, a ART - dos pilotos Nico Rosberg e Alexandre Prémat -, ele também é o responsável pela carreira de Felipe Massa, da Sauber. No Brasil nesta semana, o executivo vai assistir à Stock Car no domingo, em Curitiba, enquanto traça o caminho para o futuro do brasileiro na F1."O Felipe está muito bem na Sauber. Só estamos aguardando o que as equipes oferecerão para a próxima temporada", disse Todt nesta quinta-feira, em São Paulo. Ele e Massa participaram de um evento da patrocinadora do piloto, no hotel Cesar Park de Cumbica.A grande dúvida para definir o futuro do brasileiro é a questão dos motores da Sauber em 2006. Os da Ferrari poderão passar para a Red Bull. E a equipe de Massa poderia contar com os BMW ou Honda. Mas nada disso está decidido, por enquanto. "Queremos um motor realmente eficiente", revelou o piloto.Felipe Massa está muito satisfeito com esta temporada. Desde os testes de inverno, entre dezembro e janeiro, foi sempre mais rápido do que seu companheiro de equipe, o canadense Jacques Villeneuve, que foi campeão mundial em 97. Isso também se repetiu nos treinos oficiais para as corridas. "Ganhei muita confiança com isso. E minha relação com a equipe também melhorou muito", contou o brasileiro.Nicolas Todt disse que Massa, cujo contrato vence no fim do campeonato, é muito bem avaliado pela Sauber. E também por outras escuderias. Em sua opinião, entretanto, as grandes equipes não deverão revelar mudanças significativas em 2006. Ele diz que a Ferrari deverá continuar com Michael Schumacher e Rubinho Barrichello, independentemente do resultado do campeonato. "O Michael é muito competitivo. Vai continuar correndo", avisou Nicolas Todt. Para o dirigente, a McLaren também deverá permanecer com Kimi Raikkonen e Juan Pablo Montoya, assim como a Renault seguirá com Fernando Alonso e Giancarlo Fisichella. As dúvidas são a Williams e a BAR. Na Williams, eventualmente Nick Heidfeld poderia ser substituído por Jenson Button ou Antônio Pizzonia. E a dupla da BAR para 2006 ainda é uma incógnita. "Todos esses elementos têm de ser analisados na administração da carreira de um piloto", explicou Nicolas Todt.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.