Arquivo/AE
Arquivo/AE

Filhos e novas regras fazem Villeneuve sonhar com a F-1

Piloto canadense foi campeão em 1997 com a equipe Williams, batendo o alemão Michael Schumacher

Thiago Arantes, Agencia Estado

17 de julho de 2009 | 13h13

O canadense Jacques Villeneuve conquistou quase tudo o que um piloto poderia esperar na carreira. Mas, aos 38 anos, com títulos da Fórmula 1 e da Indy no currículo, ele ainda sonha com o retorno à categoria máxima do automobilismo mundial. Villeneuve quer uma vaga no grid do GP da Austrália de 2010. E tem dois bons motivos para buscá-la: um esportivo e o outro familiar.

"Os carros e as regras da Fórmula 1 mudaram muito, para algo que eu sempre pedi: os pneus slick estão de volta, não haverá mais paradas para reabastecimento e o controle de tração foi banido. Além disso, quero que meus filhos me vejam correr ao vivo, não apenas em fotografias", disse o campeão mundial de 1997.

A menção ao regulamento se justifica. Durante a década em que esteve na Fórmula 1 - estreou em 1996 e despediu-se em 2006 -, Villeneuve sempre questionou as questões técnicas da categoria.

Mas é o apelo familiar é ainda mais forte. Jacques era um adolescente de 11 anos quando viu o pai, o lendário Gilles Villeneuve, morrer em um acidente durante os treinos para o GP da Bélgica de 1982. As imagens da Ferrari de número 27 marcaram o garoto de tal forma que o fizeram seguir a carreira, apesar da tragédia. Pai de Jules, que completa 3 anos em novembro, e de Jonas, que fará 2 em dezembro, Jacques pretende dar aos filhos a mesma oportunidade que teve.

"As chances de voltar à Fórmula 1 em 2010 são pequenas. Mas existem, sim", disse o canadense, em entrevista por e-mail, logo depois de chegar ao Brasil. Villeneuve disputa no domingo, em Interlagos, uma etapa especial da Top Race, categoria argentina de turismo.

Desde que deixou o Mundial, demitido pela BMW em 2006, o canadense peregrinou por categorias nos Estados Unidos e na Europa - correu na Nascar, disputou as 24 Horas de Le Mans e a Speedcar, que reunia pilotos veteranos. 

O calendário de corridas apertado impede que ele assista a muitas corridas da Fórmula 1. Mas, mesmo vendo as provas apenas nas folgas, o campeão dá palpites sobre a atual temporada. Sem, é claro, perder o seu jeito polêmico. "A temporada deste ano, depois de um início um tanto monótono, parece estar se tornando mais emocionante após as etapas mais recentes", afirma Villeneuve. Para ele, o que falta mesmo à Fórmula 1 são pilotos com opiniões mais fortes. Como ele, por exemplo. "O fato de os pilotos serem muito padronizados é um problema, sem dúvida. Os fãs querem ver pilotos lutadores, querem gladiadores cheios de personalidade. E não é esse tipo de piloto que eles estão vendo atualmente", disse o canadense.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.