Finlandês Kimi Raikkonen acusa os pilotos da McLaren

Piloto da Ferrari diz que integrantes da escuderia rival atrapalharam seu desempenho no Japão

Livio Oricchio - O Estado de S.Paulo,

15 de outubro de 2008 | 17h00

Depois do GP da Turquia, quinto da temporada, poucos acreditavam que Kimi Raikkonen não seria campeão do mundo novamente. Liderava o campeonato, esbanjava forma técnica e seu carro, o modelo F2008 da Ferrari, era àquela altura o mais eficiente.Veja também:Raikkonen diz que fará tudo para ajudar Massa na ChinaNesta quinta à noite, às 23 horas de Brasília, horário do primeiro treino livre do GP da China, penúltimo do calendário, tudo o que resta ao finlandês é tentar ajudar o companheiro de equipe, Felipe Massa, a conquistar o título. Raikkonen está fora da disputa. Nesta quarta, enquanto voava de Tóquio para Xangai, foi duro com os pilotos da McLaren. "O erro deles no Japão me custou a vitória".Agora só resta a Raikkonen pensar em 2009. Mas antes disso poderá ser decisivo para as pretensões de Massa e da Ferrari de ganharem o Mundial. Como o maior adversário de Massa é Lewis Hamilton, da McLaren, e Raikkonen até agora não engoliu o que ele e seu parceiro, Heikki Kovalainen, lhe fizeram na largada da prova de Fuji, é bom ambos estarem bastante atentos: dificultar qualquer manobra dos dois significa atender amplamente os interesses de Raikkonen, devolver o "favor" do Japão, quando ambos tocaram no seu carro, e auxiliar Massa ser campeão."Eles frearam tarde demais, foi impossível evitar o caos, erro incrível", afirmou o finlandês. "Ano passado venci aqui em Xangai, pista exigente e prazerosa, vamos lutar para fazer 1.º e 2.º, resultado que necessitamos." Depois de 16 etapas, Raikkonen soma 63 pontos, quarto colocado, diante de 84 de Hamilton, 79 de Massa e 72 de Robert Kubica, da BMW, os três que podem ser campeões.No GP da China, apenas Hamilton pode definir o título: tem de se classificar entre os três primeiros e dependerá do que fizerem Massa e Kubica. As possibilidades de a decisão do campeonato se estender para Interlagos, dia 2, são maiores.Massa também falou nesta quarta. "O circuito favorece o nosso carro, fui terceiro em 2007 e Kimi venceu aqui", comentou. "Vamos trabalhar por uma dobradinha." Se Hamilton continuar manifestando sua instabilidade emocional nas horas decisivas, como fez na largada, em Fuji, e no GP do Brasil, ano passado, Massa pode reduzir ainda mais a diferença de cinco pontos que o separa do inglês da McLaren.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.