Fisichella festeja segundo lugar, mas queria a vitória

O italiano Giancarlo Fisichella chegou ao GP da Bélgica como mero coadjuvante. Sua equipe, a Force India, vinha de resultados ruins e ainda não tinha pontuado na temporada. Mas tudo mudou quando o experiente piloto fez a pole nos treinos classificatórios, o que garantiu a vantagem de largar na ponta e almejar a vitória. Na corrida deste domingo, Fisichella terminou em segundo, um resultado que o italiano valorizou, mas não negou que gostaria do primeiro lugar.

AE, Agencia Estado

30 de agosto de 2009 | 15h43

"Foi outro grande dia e um resultado incrível hoje [domingo]", afirmou o piloto de 36 anos após marcar os primeiros pontos da Force India no ano. No entanto, Fisichella acredita que tinha condições de vencer. "Na verdade, sendo honesto, eu fiquei um pouco decepcionado por achar que poderíamos ter ganhado a corrida", disse, citando a entrada do safety car no início da corrida como fundamental para a vitória do finlandês Kimi Raikkonen.

"Eu não tive sorte com o safety car, quando Kimi se aproximou no recomeço e me ultrapassou com o Kers. Atrás dele eu era mais rápido, mas com o Kers eu não conseguia passar porque era impossível ser mais rápido na reta", explicou Fisichella. A entrada do safety car foi causada pelo acidente que tirou quatro pilotos da corrida ainda na primeira volta, entre eles o inglês Jenson Button, líder do Mundial e que tinha pontuado em todas as etapas.

Mesmo um pouco insatisfeito por não conseguir a vitória, Fisichella fez questão de valorizar o segundo lugar na Bélgica. "Mas não podemos diminuir o resultado fantástico", disse o italiano. "Antes de vir para Spa, se você perguntasse para todos da equipe se estaríamos felizes por terminar em oitavo, nós diríamos que foi um resultado fantástico. Mas segundo é um sonho."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.