Andrej Isakovic / AP
Andrej Isakovic / AP

Force India é colocada sob administração, mas participa do GP da Hungria

Equipe está com graves problemas financeiros, mas espera ter resolução antes do GP seguinte, na Bélgica

Estadão Conteúdo

28 de julho de 2018 | 09h36

A Force India tenta manter a sua rotina e participa neste fim de semana do GP da Hungria, apesar de ter sido colocada sob administração em meio a graves problemas financeiros. A equipe, que tem sede em Silverstone, foi alvo da decisão judicial em audiência realizada no fim da sexta-feira em Londres.

"Estaremos em contato com as principais partes interessadas com urgência para garantir o melhor resultado para os credores", disse Geoff Rowley, representante do FRP Advisory LLP, consultoria especializada em reestruturação corporativa. "Enquanto isso, a equipe continuará a operar normalmente, incluindo a corrida na Hungria neste final de semana. Nosso objetivo é que as coisas sigam como de costume, enquanto avaliamos opções para garantir o futuro da equipe."

A equipe Force India, que é de propriedade de Vijay Mallya, terminou em quarto no campeonato de construtores no ano passado, mesmo tendo um dos menores orçamentos da Fórmula 1. Depois de 11 das 21 corridas, a Force India, com o mexicano Sergio Perez e o francês Esteban Ocon, é a quinta na temporada 2018, a 21 pontos da quarta colocada Renault.

Na quinta-feira, Perez expressou suas preocupações recorrentes chamando a situação de "crítica" enquanto a equipe procura potenciais compradores. A Force India supostamente deve mais de dez milhões de libras (aproximadamente R$ 49 milhões) para a Mercedes e outros 3 milhões de libras (R$ 14,6 milhões) para o mexicano em razão de patrocínios.

"Quanto mais dinheiro você tem neste jogo, geralmente melhor você se sai. Mas espero que isso seja resolvido em breve e que vamos voltar a operar do modo como estamos acostumados", disse Otmar Szafnauer, diretor de operações da Force India. "Estamos neste período crítico, que pode durar uma semana ou duas".

O dirigente continua confiante em uma resolução, enquanto a Fórmula 1 se prepara para as férias do verão europeu de quatro semanas após o GP da Hungria, sendo retomado em 26 de agosto com o GP da Bélgica. "Eu acho que é iminente. Eu sei que existem discussões acontecendo", disse.

A Force India também enfrenta incerteza sobre o futuro da Ocon. O francês, de 21 anos, é apontado como um dos mais promissores pilotos do grid e pode se transferir para a Renault. "É bom para ele ir, mas temos que concordar com isso", disse Szafnauer. "Nós não vamos atrapalhar o caminho dele", acrescentou.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Force India

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.