Ricardo Moraes/Reuters
Ricardo Moraes/Reuters

Fórmula 1 confirma a manutenção de GP no Brasil em Interlagos até 2025; prova terá novo nome

Categoria oficializa novo contrato para a realização da corrida, que passará a se chamar GP de São Paulo

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de dezembro de 2020 | 16h20

A Fórmula 1 oficializou nesta quarta-feira o contrato de renovação com a Prefeitura de São Paulo para realizar por mais cinco anos em Interlagos uma etapa do Mundial de Fórmula 1. O acordo anterior era válido somente até este ano. A partir de agora, a prova deixará de se chamar GP do Brasil e será conhecida como GP de São Paulo. A próxima edição será em 14 de novembro de 2021. A corrida será a antepenúltima do calendário.

O acordo entre São Paulo e a Fórmula 1 havia sido anunciado em 12 de novembro pelo governador do Estado, João Doria. Na ocasião, ele afirmou que a cidade tinha fechado um compromisso por cinco anos, renováveis por outros cinco. Por parte da Fórmula 1 ainda restava a confirmação, já que no calendário prévio da temporada do ano que vem divulgado no último mês a etapa brasileira apresentava a observação de que dependia de acerto contratual para ser oficializada.

São Paulo venceu a concorrência com uma candidatura do Rio de Janeiro para manter o GP do Brasil. O projeto liderado pelo consórcio Rio Motorsports pretende construir um autódromo em Deodoro. O empreendimento avaliado em R$ 700 milhões acabou descartado pela categoria por ainda não ter conseguido as licenças ambientais prévias para iniciar a construção. Por isso, a opção por continuar em Interlagos ganhou força junto com a Fórmula 1.

"O Brasil é um mercado muito importante para a Fórmula 1, com fãs dedicados e uma longa história no esporte. A corrida no Brasil sempre foi um destaque para nossos fãs, pilotos e nossos parceiros e estamos ansiosos para proporcionar aos fãs da Fórmula 1 uma corrida emocionante em Interlagos em 2021 e nos próximos cinco anos", disse o chefe da Fórmula 1, Chase Carey. "É uma grande alegria poder anunciar que Interlagos continuará a receber um dos eventos mais importantes do automobilismo mundial. Fizemos um grande esforço para manter a corrida em nossa cidade", afirmou o prefeito de São Paulo, Bruno Covas.

A categoria realizou pela primeira vez uma prova oficial em Interlagos em 1973. Nos anos 1980, algumas edições do GP do Brasil foram disputadas no Rio, em Jacarepaguá. Desde 1990 a capital paulista voltou a ser a sede da etapa brasileira. A única exceção foi neste ano, quando a pandemia do novo coronavírus alterou radicamente o calendário de provas e causou a exclusão de todas as etapas disputadas nas Américas.

A partir de agora, a promoção do evento será realizada pela empresa Brasil Motorsport, companhia de entidades de investimento controladas pela Mubadala, fundo de investimentos com sede em Abu Dabi. O responsável pelo evento será o ex-velejador olímpico Alan Adler. "Estamos muito animados por poder trabalhar com a Fórmula 1. Interlagos é um dos circuitos mais respeitados do calendário. Os brasileiros são entusiastas do automobilismo e da velocidade, e o Brasil tem uma longa tradição de produzir grandes pilotos, o que por sua vez criou uma grande legião de fãs de F1 em nosso país", comentou. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.