EFE
EFE

Fórmula 1 confirma cancelamento e retorno do GP da Holanda ficará para 2021

Pandemia do novo coronavírus adia retorno do país ao calendário depois de mais de 30 anos

Redação, Estadão Conteúdo

28 de maio de 2020 | 08h25

Sem poder contar com torcida em seu retorno ao calendário da Fórmula 1, a organização do GP da Holanda decidiu cancelar nesta quinta-feira a corrida marcada para este ano. A reestreia da prova, a ser realizada no Circuito de Zandvoort, ficará para a próxima temporada.

A corrida seria disputada sem a presença de público em razão da pandemia do novo coronavírus. Justamente por causa da covid-19, o GP já havia sido adiado, sem nova data definida. Inicialmente, estava marcado para 3 de maio. Torcedores que compraram ingressos poderão utilizá-los em 2021.

"Nós gostaríamos de celebrar este momento, o retorno à Fórmula 1 em Zandvoort, junto com todos os nossos fãs de automobilismo da Holanda", disse o promotor da prova, Jan Lammers. "Pedimos a todos para serem pacientes. Tive que esperar por isso por 35 anos, então posso esperar mais um ano." A prova holandesa foi disputada pela última vez na F-1 em 1985.

O retorno de Zandvoort era uma das principais atrações da nova temporada da F-1. O antigo circuito passou por forte reformulação nos últimos anos e vinha sendo aguardado com ansiedade. Max Verstappen, piloto da casa, até já havia dado uma volta com sua Red Bull no traçado em março, na reinauguração da pista.

A prova holandesa é a quarta a ser cancelada no atual calendário da F-1, em razão da pandemia. Antes, foram cortados os GPs da Austrália, de Mônaco e da França. Outras seis corridas foram suspensas.

A temporada 2020 deveria ter começado justamente na Austrália, em 15 de março. Mas o início vem sendo adiado pouco a pouco por causa do risco de contaminação por covid-19. No momento, a primeira prova confirmada do ano é o GP da Áustria, marcado para 5 de julho.

O novo calendário, com os devidos ajustes após tantas mudanças, ainda não foi divulgado pela cúpula da F-1. Mas os dirigentes já adiantaram que o remodelado campeonato terá entre 15 e 18 corridas neste ano, ao invés do recorde de 22, projetadas inicialmente.

Tudo o que sabemos sobre:
automobilismoFórmula 1coronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.