Divulgação/Fórmula 1
Divulgação/Fórmula 1

Fórmula 1 confirma GP da Toscana, em Mugello, e GP da Rússia

Temporada conta agora com dez provas confirmadas e corrida na Rússia pode ser a primeira com torcida

Redação, Estadão Conteúdo

10 de julho de 2020 | 09h41

A direção da Fórmula 1 confirmou nesta sexta-feira mais duas corridas para a tumultuada temporada 2020, que começou somente semana passada, na Áustria. A categoria anunciou uma prova em Mugello, na Itália, e o GP da Rússia, em Sochi. A etapa russa poderá ser a primeira do ano com público nas arquibancadas. As duas corridas já eram alvos de rumores há alguns meses, conforme informou o Estadão.

Nona etapa do ano, o GP da Toscana será realizado no dia 13 de setembro, justamente uma semana depois do GP da Itália, no mesmo país. Já a corrida russa foi marcada para o dia 27 do mesmo mês. Assim, o calendário da F-1 conta agora com dez provas confirmadas neste ano, após iniciar a temporada no fim de semana passado, com vitória da Merdeces de Bottas.

O restante do calendário será definido nas próximas semanas. A cúpula da F-1 reafirmou que a temporada terá entre 15 e 18 corridas neste ano, após seguidos cancelamentos e suspensões de etapas no primeiro semestre, em razão da pandemia do novo coronavírus. O GP do Brasil, segundo apurou o Estadão, deve ficar fora desta lista, apesar de estar incluído inicialmente no calendário para novembro. Seria a última prova do atual contrato de São Paulo com a categoria.

Por enquanto, todas as provas confirmadas estão na Europa. Mas o restante do calendário deve incluir ao menos duas na Ásia. Assim, a temporada 2020 ficaria sem GPs nas Américas (Estados Unidos, México e Brasil). CEO da F-1, o americano Chase Carey já indicou que o motivo é a preocupação com os casos de covid-19 nestes países.

Um dos traçados mais famosos do mundo, o circuito de Mugello pertence à Ferrari e é usado como pista de testes da tradicional equipe italiana. Já recebeu provas da Fórmula 2 e da MotoGP, mas nunca da F-1. A estreia vai coincidir com o 1000º GP da Ferrari na história da categoria. Além disso, será a primeira vez desde 2006 que duas provas serão disputadas na Itália.

Já a etapa russa poderá receber torcida pela primeira vez na temporada. Embora a F-1 não tenha mencionado essa possibilidade em seu anúncio oficial, o vice-primeiro-ministro russo, Dmitry Chernyshenko, afirmou esperar que o circuito de Sochi possa receber fãs, ainda que em menor número do que nos anos anteriores. "A Rússia está pronta para receber as equipes e os fãs da F-1. O governo vai providenciar toda a assistência necessária durante a preparação e também ao longo do evento. Será um importante evento para o esporte russo", declarou o político.

O autódromo russo tem capacidade para receber 55 mil torcedores. A Rússia é um dos países com o maior número de infectados por covid-19 no mundo. O país tem 713.936 contaminados e 11.017 mortes. Em casos confirmados, só está atrás de Estados Unidos, Brasil e Índia.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.