Fórmula 1 vai reduzir gastos ao nível dos anos 90

Segundo o presidente da Associação das Equipes, Luca di Montezemolo, diminuição dos custos será drástica

Agencia Estado

11 de dezembro de 2008 | 18h15

O presidente da Associação das Equipes da Fórmula 1 (FOTA), Luca Cordero di Montezemolo, que também comanda a Ferrari, afirmou nesta quinta-feira que a categoria reduzirá os custos aos níveis praticados nos anos 90. Veja também: Massa estranha visual de novos carros da Fórmula 1 Raikkonen diz que temporada de 2009 será imprevisível Honda era mau exemplo e não fará falta, diz EcclestoneA declaração foi divulgada em comunicado após reunião com o presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Max Mosley. Segundo Montezemolo, haverá uma "redução drástica nos custos a partir da próxima temporada". As mudanças, nas palavras do presidente da FOTA, possibilitarão a existência de uma Fórmula 1 "completamente nova em 2012, caracterizada por um espírito de inovação e com grande atenção ao ambiente, mas com um nível econômico dos anos 90".Na semana passada, a Honda decidiu sair da categoria para se concentrar nos principais negócios da equipe japonesa ao invés de gastar cerca de US$ 291 milhões para competir na Fórmula 1.As propostas da FOTA e da FIA se concentram principalmente em reduzir os custos com os motores. A principal medida nesse sentido é a possível utilização de um motor padrão por todas as equipes.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1MontezemoloFotaFerrari

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.