Fórmula Truck: Roberval Andrade vence

Já fazia quase um ano que Roberval Andrade não conquistava uma vitória na Fórmula Truck - a última havia sido em Interlagos, na temporada passada. Mas neste domingo, na quinta etapa, o piloto da Scania acabou com o tabu e cruzou a linha de chegada na frente de Fabiano Brito (Volvo), Diumar Bueno (Volvo), Vignaldo Fizio (Mercedes Benz) e Djalma Fogaça (Ford). Quando pegou o troféu de primeiro colocado, Roberval, que não tinha terminado nenhuma das quatro etapas anteriores, brincou: "Fazia tanto tempo que não ganhava um desses que quase comprei um troféu." Dos 22 caminhões que largaram, apenas a metade terminou a prova. Com os 27 pontos conquistados (20 pela vitória e sete por ter cruzado em primeiro a 12ª volta), o piloto subiu da 15ª para a quinta posição na tabela. "Para dizer a verdade eu já tinha desistido do campeonato. Mas depois dessa vitória em Londrina embolou tudo, acho que dá. Tomei um banho de champanhe para limpar a alma e tirar tudo o que houve de ruim. Até agora só tinha batido na trave, não dava certo", disse, aliviado. Roberval largou da terceira posição e disse que esperou o duelo entre Leandro Totti e Vignaldo Fizio para tomar a liderança, na sexta volta."Eu estava tenso. No treino errei três vezes e sabia que os caminhões pequenos (de nove litros, como Ford e Volks) levariam vantagem. Eu sabia que seria bastante difícil tirar a pole do Totti", analisou o vencedor. Outro que fez uma bela prova foi Djalma Fogaça. O piloto da Ford fez a pole no sábado, foi desclassificado por excesso de fumaça, largou da 20ª posição e chegou em quinto. "Foi uma prova boa apesar da minha desclassificação. Os caminhões pequenos levariam vantagem se largassem na frente. Saindo de trás, como foi meu caso, era difícil alcançar os grandes (de 12 litros, como Scania, Volvo e Mercedes)", criticou. Leandro Totti, que corria em casa e era apontado como favorito, teve um problema na alavanca do câmbio e abandonou na 12ª volta. Segundo Roberval, o adversário estava ansioso: "Deu para perceber que o Totti estava ansioso logo na largada. Ele cometeu alguns erros. Mas acho que venci também por causa dos outros. O Beto Monteiro (ia largar em quarto) teve problemas antes da largada. O Fogaça seria pole e foi desclassificado." Fabiano Brito, um dos pilotos da nova geração, assumiu a segunda posição na classificação geral após o resultado deste domingo. Com 50 pontos, está atrás apenas de Wellington Cirino (com 69 pontos), que se acidentou na sexta-feira e não correrá, no mínimo, nos próximos três meses. O piloto da Volvo está animado para a próxima etapa, em Campo Grande, no dia 7 de agosto. "Pelo que vi hoje (domingo) dá para manter o mesmo ritmo lá. Gosto muito da pista de Campo Grande, é até parecida com a de Londrina. Fiquei feliz porque quando acabou a prova o pai do Wellington me abraçou e disse que está torcendo por mim. Esse segundo lugar dedico a ele", concluiu. Cirino, da Mercedes, passará por duas cirurgias nesta terça-feira, na Santa Casa de Londrina. O líder do campeonato sofreu oito fraturas entre tíbia, fíbula e calcanhar e uma na mão direita. Na sexta-feira, durante o treino livre, o piloto bateu no muro a 160 quilômetros por hora.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.