Francesa avalia combustível na Renault

A bela engenheira francesa Damia Lion, de 27 anos, chegou à escuderia Renault há dois anos, depois de se aventurar por três anos como piloto de carros menores da Renault com cinco amigos. Na equipe francesa, Damia exerce um papel fundamental: é encarregada pela análise do combustível para saber se é bom para o motor do carro e se está de acordo com o regulamento da FIA.No início da carreira, a garota loira de olhos azuis sofreu com a pressão dos marmanjos e era considerada apenas uma coadjuvante. Agora, ela tira isso de letra, porque provou ser competente no que faz. ?Quando eu corria na França o comportamento dos homens era bem diferente. Eles achavam que eu era uma ?pompom girl? (aquelas garotas que fazem promoção). Agora, tenho mais responsabilidade e os homens pensam que sou boa no meu trabalho e confiam em mim. A grande diferença é que eu posso dirigir?, acredita.Sobre o jovem piloto de sua equipe, Fernando Alonso, que poderá decidir o título no domingo, no GP do Brasil, em Interlagos, Damia não tem dúvidas de que ele será campeão. ?Estamos nervosos com o Mundial de marcas (a equipe está em terceiro). Não estamos preocupados com o Mundial de pilotos, porque acreditamos na vitória do Alonso?, conta.Para se aproximar das escuderias Williams e McLaren, a equipe trabalha a todo vapor. ?A pressão este ano é muito maior que no ano passado. Temos muito trabalho todos os dias.? De acordo com a engenheira, Alonso tem um bom relacionamento com os companheiros de escuderia e sempre trabalhou em equipe. ?Ele é uma pessoa tranqüila, sempre vem ao box falar com a gente, pergunta como estamos, agradece pelo bom trabalho?, conta.Nos bastidores da F-1, Damia não esconde o sonho de um dia poder pilotar um F-1. ?Mas a gente sabe que não pode?, brinca. Para o próximo ano, ?quem sabe eu posso pilotar um pequeno F-1, quando tiver mais tempo.? E não parece se incomodar com as poucas horas de sono, trabalhar sob pressão e estar sempre longe de casa. Ela é fã de F-1 e sempre gostou do clima dos autódromos. Assim que soube que havia uma vaga na Renault, Damia se candidatou. ?Sempre fui fã de automobilismo.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.