Franceses querem manter GP no calendário da F-1

Dirigentes responsáveis pela corrida no país buscam alternativas caso Magny-Cours não receba a prova

EFE,

20 de julho de 2007 | 15h58

A Federação Francesa de Automobilismo (FFSA) emitiu um comunicado no qual manifesta sua firme determinação de manter em 2008 o Grande Prêmio da França de Fórmula 1, ameaçado depois de os responsáveis pelo circuito de Magny-Cours não aceitarem continuar recendo a prova por seu alto custo. Com isso, a FFSA deposita toda a responsabilidade da continuidade do GP da França na Sociedade do Circuito de Magny-Cours, no Conselho Geral do departamento da Nievre e no Conselho Regional de Borgonha, autoridades da região onde está situado o único autódromo com capacidade para receber a corrida hoje em dia. "O Comitê Executivo da FFSA quer reafirmar sua determinação de organizar o Grande Prêmio da França, até que em 2011 expire o contrato com a empresa que possui os direitos do Campeonato Mundial de Fórmula 1", assinala o organismo em comunicado. "Sobre a edição de 2008, sua inscrição no Mundial depende dos acordos econômicos com o Conselho Geral de Nievre e o Conselho Regional de Borgonha para que estes aumentem sua ajuda à Federação", acrescenta a FFSA, que lembra que salvou o grande prêmio de seu desaparecimento em 2003. Além disso, a federação decidiu buscar novas sedes para impedir que no futuro o Grande Prêmio da França desapareça. Para isso, procura sua solução no complexo Disneyland Paris ou na região de Versalhes.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Magny-Cours

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.