Franchitti vence o GP de Cleveland

Dario Franchitti conquistou neste domingo sua sétima vitória na Fórmula Indy ao vencer o GP de Cleveland, oitava etapa da temporada. Numa corrida que teve um grid de largada incomum por causa da chuva no treino classificatório, o segundo colocado foi um piloto (Memo Gidley) que até este domingo não sabia se teria emprego na próxima etapa - Toronto, daqui a duas semanas. E o terceiro (Bryan Herta) nem patrocínio tem e tinha feito só três pontos.O resultado foi ótimo para o sueco Kenny Brack, que chegou em sexto lugar, marcou oito pontos e ampliou sua vantagem na liderança sobre o brasileiro Hélio Castro Neves - agora, são 14 pontos. Dos brasileiros, o melhor colocado foi Gil de Ferran, que terminou em quarto, mesma posição que ocupa agora na classificação. Atual campeão, Gil está tentando se recuperar numa temporada em que nem tudo está dando certo.Como se esperava, houve um acidente logo após a largada na primeira curva, a única feita em velocidade baixa (segunda marcha). A batida foi entre o canadense Patrick Carpentier e o mexicano Michel Jourdain Jr., mas sobrou para o brasileiro Tony Kanaan, que tinha ganho de presente um sexto lugar no grid e agora caía para antepenúltimo. Assim como Tony, Dario Franchitti também foi parar na grama e entrou imediatamente no box para consertar o estrago. Mas as coisas deram certo para o escocês, que encheu o tanque na bandeira amarela e começou a por em prática uma tática de economizar metanol. Economizou o suficiente e fez, além dessa, apenas mais duas paradas, totalizando as mesmas três que a maioria dos pilotos. "Eu não tinha nada a perder e entrei no pit. No final das contas, o acidente acabou ajudando. Economizei o quanto pude e, quando dava, fazia uma ultrapassagem", disse Franchitti, que foi vice-campeão em 1999 (o campeão foi o colombiano Juan Pablo Montoya) e desde o ano passado não ganhava uma corrida: "Fiquei até meio chocado quando cruzei a linha de chegada. Estou muito feliz." Quem saiu ileso da primeira curva foi o brasileiro Max Wilson, que tinha largado em terceiro e já assumia a liderança. Vinte voltas depois, foi ultrapassado por Memo Gidley, mas ainda estava no lucro considerando o carro que tem. O prejuízo estava por vir, quando Max quis fazer seu primeiro pit stop mas não pôde entrar no box porque o carro de Bruno Junqueira estava na frente - Bruno, de forma desastrada, tinha batido na traseira de Christian Fittipaldi na entrada do pit lane. Para Bruno e para Max, a corrida acabava ali.O norte-americano Memo Gidley liderava e tentava abrir vantagem, pois sabia que Franchitti faria uma parada a menos: 20 segundos, 21, quase 30... Não foi suficiente, mas o piloto que não disputava uma corrida desde o ano passado e foi contratado às pressas para substituir Nicolas Minassian em Portland, domingo retrasado, estava satisfeito. "Meu team manager ficava falando ´acelera, acelera´, mas eu não podia ter feito mais do que fiz. Quando você anda de pé embaixo o tempo todo, a chance de errar é grande. É como um classificatório a cada volta. Foi simplesmente fantástico", disse o piloto, que ganhou o aval para ficar na Chip Ganassi: "Depois da corrida, o Chip (dono da equipe) disse ´bem, parece que vamos para mais uma." Sua permanência depende do desempenho a cada prova.Bryan Herta chegou em terceiro fazendo apenas dois pit stops, mesmo tática usada por Cristiano da Matta, que largou em 19º e conseguiu terminar em sétimo, conquistando seis importantes pontos na disputa pelo campeonato.Resultado final - 1) Dario Franchitti (Green); 2) Memo Gidley (Chip Ganassi), a 0s305; 3) Bryan Herta (Zakspeed), a 7s897; 4) Gil de Ferran (Penske), a 12s070; 5) Jimmy Vasser (Patrick), a 21s298; 6) Kenny Brack (Rahal), a 22s061; 7) Cristiano da Matta (Newman Haas), a 27s539; 8) Roberto Moreno (Patrick), a 28s108; 9) Alex Tagliani (Player´s), a 30s376; 10) Maurício Gugelmin (PacWest), a 31s838; 11) Christian Fittipaldi (Newman Haas), a 43s157; 12) Hélio Castro Neves (Penske), a 43s799; 16) Tony Kanaan (Mo Nunn), a uma volta; 19) Max Wilson (Blair), a quatro voltas. Bruno Junqueira (Chip Ganassi) abandonou.Classificação - 1) Kenny Brack, 84 pontos; 2) Hélio Castro Neves, 70; 3) Dario Franchitti, 65; 4) Gil de Ferran, 56; 5) Cristiano da Matta, 55; 6) Michael Andretti, 53; 7) Jimmy Vasser, 50; 8) Christian Fittipaldi, 48; 9) Scott Dixon, 44; 10) Roberto Moreno, 41; 11) Paul Tracy, 40; 12) Max Papis, 38; 13) Tony Kanaan, 34; 14) Bruno Junqueira, 23; 15) Memo Gidley e Bryan Herta, 17; 18) Max Wilson, 12; 20) Maurício Gugelmin, 11.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.