Gil de Ferran fora do GP do Japão

O brasileiro Gil de Ferran está fora da terceira etapa da Indy Racing League, dia 13 de abril, no Japão, por causa do acidente que sofreu no último domingo, durante o GP de Phoenix. Na volta 187 das 200 da corrida, Gil bateu violentamente com seu Penske no muro da curva 1 do circuito oval, após ser atingido pelo carro do norte-americano Michael Andretti. Com o choque, o brasileiro teve uma concussão, sofreu uma pequena fratura em uma vértebra da região lombar e outra perto do pescoço. Ele calcula que ficará quatro semanas em repouso."Sinto bastante dor nas costas e um pouco de dor no pescoço. Agora, estou só descansando. Não vai dar para ir ao Japão?, disse Gil nesta quarta-feira à Agência Estado. O piloto não se lembra do acidente - Andretti claramente jogou seu carro contra o do brasileiro, ao perceber que seria ultrapassado, depois de algumas voltas de "briga?. "Só me lembro da volta anterior e, depois, quando estavam me colocando na ambulância.?Logo que foi retirado do carro, o que levou alguns minutos, Gil foi transportado para o centro médico do autódromo e, depois, para um hospital de Phoenix, onde passou a noite em observação. Desde segunda-feira está em sua casa, em Fort Lauderdale, Flórida.O brasileiro não viu as imagens do acidente, nem foi procurado por Andretti - que depois da batida alegou não ter visto o carro de Gil. "Falei com poucas pessoas, familiares e amigos?, revelou.O acidente de Phoenix foi o segundo grave sofrido por Gil - campeão da Cart em 2000 e em 2001 - em três corridas. Em 8 de setembro do ano passado, na penúltima etapa do campeonato anterior da IRL, ele bateu a cerca de 300 km/h no muro do circuito de Chicagoland, depois de perder o controle de seu Penske por conta de um súbita redução de velocidade de Al Unser Jr., que vinha à sua frente.A conseqüência foi uma concussão cerebral, uma fratura no pulso esquerdo e ferimentos na perna e pé direitos. Foi impedido de correr na semana seguinte, no Texas, e, com isso, teve de abandonar a luta pelo título.Gil passou mais de dois meses em recuperação, sem poder sequer fazer exercícios físicos mais fortes. Perdeu alguns treinos preparatórios da Penske para esta temporada e voltou a disputar um GP dia 2 de março, em Miami - obteve um segundo lugar.Os dois acidentes seguidos são encarados com naturalidade pelo piloto, apesar da gravidade. "É coisa de corrida. Quem brinca na chuva, de vez em quando se molha??, disse. "Agora, vou pensar em Indianápolis?, completou Gil, numa referência às 500 Milhas, que serão disputadas em 25 de maio, mas cuja programação começa cerca de 20 dias antes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.