Gil de Ferran passa mal após a prova

Após chegar em segundo lugar no GP de Monterrey, que abriu a temporada 2001 da Fórmula Indy, o piloto brasileiro Gil de Ferran não compareceu à entrevista coletiva obrigatória. Segundo o canadense Paul Tracy, que chegou em terceiro lugar (o brasileiro Cristiano da Matta foi o vencedor), Gil estava muito cansado no pódio: "Parecia que ia desmaiar." Depois da premiação, Gil de Ferran, campeão da categoria no ano passado, foi levado para o centro médico por causa do mesmo problema que teve no sábado, durante o qualifying que definiu o grid de largada: desidratação.Festa - Após cruzar a linha de chegada, ainda no carro da Newman/Haas, Cristiano da Matta gesticulou muito, dando socos no ar e brincando com o amigo Tony Kanaan. Quando chegou à sala de imprensa para a entrevista coletiva, a euforia ainda não tinha passado. Após receber os aplausos, ele ergueu os braços, abriu um grande sorriso e disse ?gracias?. Era uma demonstração de quanto foi agradável correr no México."Nunca vi tanto entusiasmo do público numa corrida", confessou o brasileiro. "Eu não esperava tanta empolgação e isso faz ser especial ganhar aqui. Nas últimas voltas, via vários flashes sendo disparados nas arquibancadas e percebi que eles realmente gostam de nos ver correr." Mostrando talvez certo ressentimento com o pouco sucesso da categoria no Brasil, Cristiano da Matta disse que houve mais empolgação com sua vitória no México do que quando o brasileiro André Ribeiro venceu a Rio 400 em 96, primeiro ano em que a Indy teve uma etapa no País."Ganhei 21 pontos em 22 possíveis, não dá para pedir mais", comemorou Cristiano, lembrando que o fim de semana foi muito tranqüilo. "O carro não parou nenhuma vez e a equipe não cometeu nenhum erro. Não que tenha sido fácil, a corrida aliás foi muito dura. Mas o fato de tudo ter funcionado facilitou muito."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.