Gil diz que sempre acreditou no bi

Gil de Ferran conta que o segredo para sair de uma situação difícil no campeonato e conquistar o título da Fórmula Indy foi manter a calma. "O importante é se concentrar nas coisas sobre as quais você tem controle, como seu próprio desempenho, e não se desesperar. Aí pára de chover em cima da sua cabeça, como parou?, explica o piloto brasileiro da Penske, que foi bicampeão da categoria após o 4º lugar no GP da Austrália, no último domingo. Até a décima corrida da temporada (500 Milhas de Michigan), Gil estava em sexto lugar no campeonato, enfrentando o azar e algumas dificuldades com o acerto do carro. A partir daí, ele começou uma decisiva série de nove provas em que marcou pontos em todas. Sabendo que a regularidade é fundamental na Indy - foi assim que ganhou o título também no ano passado -, o piloto brasileiro sagrou-se campeão com apenas duas vitórias, mesmo número de Max Papis e Cristiano da Matta, enquanto Kenny Brack teve quatro e Hélio Castro Neves, três. Brack tem também o maior número de voltas lideradas (621), com Helinho em segundo (400) e Gil em terceiro (328). O bicampeão revela que começou a crer que teria condição de ganhar o título quando chegou à terceira colocação no campeonato (em Elkhart Lake, quando tinha 11 pontos a menos que o líder Helinho). E afirma que a obrigação de defender a conquista do ano passado nunca o atrapalhou. "Dou meu melhor sempre, é sempre um desafio. Sempre vou lutar pela pole, pela corrida... Quero manter isso. Nunca perco a confiança no meu trabalho e nas pessoas com quem trabalho. Nunca tive a menor dúvida de que viraria a mesa. Nunca."

Agencia Estado,

29 de outubro de 2001 | 18h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.