Gil e Helinho começam bem na IRL

Os brasileiros Gil de Ferran e Hélio Castro Neves, da Penske, tiveram um início de temporada promissor na Indy Racing League. Eles chegaram em segundo e terceiro lugares, respectivamente, neste sábado, no GP de Miami. A vitória na etapa de abertura do campeonato da IRL foi do atual campeão da categoria, o norte-americano Sam Hornish Jr., que deu um banho na concorrência. Hornish, da equipe Panther, fez uma corrida à parte. Largou na pole, liderou 166 das 200 voltas e sua superioridade foi tamanha que durante 32 giros colocou uma volta sobre todos os concorrentes, algo raro nos circuitos ovais. Só perdeu tal vantagem porque aconteceram duas bandeiras amarelas seguidas e ele, ao contrário de vários pilotos, como os brasileiros da Penske, não fez o pit stop na primeira. Por isso, depois não teve como manter a diferença. "Parecia que ele estava dirigindo um carrinho de autorama, tal a facilidade na pista. Era impossível acompanhar seu ritmo", comparou Gil de Ferran. "As condições da pista estavam muito difíceis, principalmente nas curvas 3 e 4, por causa do vento forte. Estava complicado para todo mundo, menos para o Sam", acrescentou Helinho. O norte-americano completou a corrida em 2h08m16s442. Chegou 4s755 à frente de Gil e com vantagem de 6s759 sobre Helinho. Hornish soma 52 pontos na classificação (conseguiu dois pontos extras por liderar o maior número de voltas), contra 40 de Ferran e 35 de Castro Neves. "Foi um dia perfeito. Todos no time trabalharam bem. O carro estava fantástico", comemorou o piloto norte-americano, também vencedor em Miami no ano passado. Neste sábado, ele só reclamou do vento forte. Apesar da brilhante corrida, Hornish garantiu a vitória sob bandeira amarela, por causa de um acidente na volta 197 com outro piloto que fez um grande trabalho: o brasileiro Airton Daré, que só soube que ira correr pela equipe A. J. Foyt na sexta-feira (o piloto titular, Donnie Beechler, bateu no treino), fez o shake-down (teste dos componentes do carro) no treino oficial e saiu-se muito bem na prova, andando em segundo e terceiro lugares boa parte do tempo. Mesmo batendo, Daré terminou em 10º lugar. Bom começo - Gil de Ferran fez uma excelente corrida. Largou em sexto e esteve quase sempre entre os quatro primeiros. Na volta 173, durante uma bandeira amarela, assumiu o segundo lugar e o manteve até o final. "Sair de Homestead com o segundo lugar é muito bom. Estava difícil segurar o carro na pista. Eu quase dei umas 15 pancadas no muro", revelou o brasileiro, que entende que a Penske ainda precisa melhorar. Para isso, Helinho vai treinar em Fontana antes da próxima etapa do campeonato, em Phoenix, dia 17. Helinho largou em segundo e ficou satisfeito com o terceiro lugar na prova deste sábado. "Não podemos reclamar. Do jeito que estava difícil." Já Daré explicou que bateu no muro após uma relargada porque pegou sujeira na pista ao tentar desviar de um adversário e perdeu o controle do carro. Mas ele estava irritado com Felipe Giaffone, que, retardatário, o segurou durante 20 voltas quando ele estava em segundo lugar. "Não sei por que ele faz isso. É uma cara legal, mas na pista apronta dessas. Acho que ele recebe muita pressão dos patrocinadores e, por isso, não pode deixar-se superar por outro brasileiro", criticou. Giaffone (sétimo colocado na prova) alegou que, como teve problemas de comunicação com a equipe MoNunn, pensou que estava disputando posição com Daré, com quem já se desentendeu na temporada passada. "Mas foi erro meu", reconheceu depois. Briga interna - Tomas Scheckter, da Cheever, sexto colocado neste sábado, tirou seu patrão, Eddie Cheever da prova logo na terceira volta, ao jogá-lo contra o muro. "Você está louco? A corrida estava só no começo", reclamou depois Eddie. Scheckter ouvir calado a bronca. Classificação final do GP de Miami: 1) Sam Hornish Jr. (EUA) - 2h8m16s4427 2) Gil de Ferran (Brasil) - a 4s755 3) Hélio Castro Neves (Brasil) - a 6s759 4) Jeff Ward (EUA) - a 1 volta 5) Eliseo Salazar (Chile) - a 1 volta 6) Tomas Scheckter (África do Sul) - a 2 voltas 7) Felipe Giaffone (Brasil) - a 2 voltas 10) Airton Daré (Brasil) - a cinco voltas.

Agencia Estado,

02 Março 2002 | 19h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.