Gil: entre frustração e alegria

Depois de largar na pole e liderar amaior parte da prova, o brasileiro Gil de Ferran admite ter ficadofrustrado com o terceiro lugar no GP de Laguna Seca, vencido peloitaliano Max Papis. Apesar disso, Gil saiu muito satisfeito de Montereyneste domingo, pois aumentou sua vantagem na liderança do campeonato eficou perto do bicampeonato na Indy.?Realmente, foi um pouco frustrante. A vitória esteve perto, mas asbandeiras amarelas (foram oito no total) me atrapalharam?, afirmou Gil,que chegou aos 179 pontos na temporada. ?Nas 10 últimas voltas dacorrida, parei de atacar e comecei a correr pelo campeonato, evitandoriscos e lutando para manter minha posição?, explicou o brasileiro daequipe Penske.Agora, faltando duas etapas para o final da temporada (Austrália eFontana), apenas três pilotos têm chances de conquistar o título daIndy. Além do líder Gil, o sueco Kenny Brack (Rahal) e o brasileiroHélio Castro Neves (Penske) estão na briga. Brack, que não completou aprova em Laguna Seca, é o segundo colocado, com 153 pontos, e Helinho,com o 6? lugar neste domingo, está em terceiro, com 141. ?No geral, oresultado foi muito bom para mim?, comemorou timidamente o atual campeãoda Indy.Quem estava rindo à toa após a prova era Max Papis, que largou em 24?lugar e terminou com a vitória. ?Não tinha o carro mais rápido, mastinha uma boa estratégia. Saindo entre os últimos, sabia que tinha defazer algo diferente e então, fui economizando combustível e esperandominha hora chegar?, disse o italiano, que conta com esse resultado paraacertar um contrato para a próxima temporada, já que o seu com a equipeRahal acaba agora.O segundo colocado em Laguna Seca seguiu o mesmo caminho de Papis.Largando da 23ª posição, o norte-americano Memo Gidley (Ganassi) tambémcontou com uma boa estratégia para subir no pódio. ?Você nunca sabe oque vai acontecer numa corrida. Às vezes, mesmo saindo de trás, ascoisas dão certo para você?, comemorou ele.

Agencia Estado,

14 de outubro de 2001 | 21h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.