Gil ganha em Houston e lidera a Indy

Gil de Ferran conseguiu neste domingo, no GP de Houston, uma vitória como há muito não se via na Fórmula Indy. Ele largou na pole e liderou todas as 100 voltas da corridas, não sendo ameaçado nem quando fez o pit stop. Com o triunfo de ponta a ponta, o brasileiro da Penske assumiu a liderança do campeonato, com 163 pontos (ganhou o ponto extra por largar na pole e o por liderar o maior número de voltas) contra 153 do sueco Kenny Brack, do Team Rahal, apenas o sétimo colocado na prova."Aparentemente, foi uma corrida fácil, mas não foi bem assim. Quando você está tão tranqüilo na ponta como na primeira metade da corrida, tem de se concentrar muito para não cometer um erro. E depois, na parte final, quando o (Dario) Franchitti estava atrás de mim, o ritmo da corrida ficou muito forte??, revelou Gil. De fato, o ritmo forte da prova o ajudou a completar as 100 voltas na pista de 2,456 quilômetros nas ruas de Houston em 1h54min42s336, novo recorde do circuito. Franchitti, da Green, chegou a 3s430 do brasileiro e o norte-americano Memo Gidley, da Chip Ganassi, com desvantagem de 18s847 para o vencedor, completou o pódio.A rigor, porém, Gil só teve algum trabalho na largada, quando Bruno Junqueira, que estava a seu lado no grid, tentou a ultrapassagem e Brack, que largou em terceiro, buscou ir no "embalo??. Mas no fim da reta, o atual campeão da Indy se impôs e manteve o primeiro lugar. Depois disso, foi aumentando sua diferença para Bruno, que chegou a 10s576 no volta 35, pouco antes da primeira bandeira amarela, causada por uma rodada de Roberto Moreno no giro 39.Naquela altura, Alex Tagliani, canadense da Forsythe, conservava o terceiro lugar obtido ainda na primeira volta, quando ultrapassou Brack e o brasileiro Hélio Castro Neves. Helinho vinha em quinto (foi superado também por Dario Franchitti), mas havia feito a ultrapassagem mais bonita da prova, sobre o sueco, na volta 32, depois de uma disputa que durou 21 giros.A bandeira amarela da volta 39 levou quase todos os pilotos ao primeiro pit stop. Foi então que Bruno se atrapalhou, perdendo tempo e duas posições. Logo depois, ele bateria na traseira de Maurício Gugelmin. O brasileiro da Ganassi foi novamente para o boxe e, com problemas de embreagem, abandonou o GP.Gil se mantinha tranqüilo na frente, mas iria precisar de um splash and go no final da prova, o que poderia lhe significar até a perda da corrida. Mas deu a sorte dos campeões: na volta 79, Michael Andretti provocou a quarta e última bandeira amarela da corrida e isso eliminou a necessidade de ir aos boxes, facilitando a obtenção de sua sétima vitória na categoria e a segunda consecutiva - ganhou na Inglaterra, a etapa anterior.Hélio Castro Neves, que após seu pit stop chegou a cair para 10º lugar e foi recuperando posições, ainda conseguiu um quinto lugar, o que lhe vale a terceira colocação no campeonato, com 133 pontos. Em quarto vem Michael Andretti, que não pontuou neste domingo e tem 125. Cristiano da Matta (Newman-Haas), em sexto, Christian Fittipaldi (Newman-Haas), em oitavo, e Tony Kanaan (MoNunn), em 12º, foram os outros brasileiros a pontuarem em Houston. Maurício Gugelmin (PacWest) e Roberto Moreno (Patrick) não terminaram o GP.A próxima etapa do campeonato será no domingo, em Laguna Seca, Califórnia.Classificação do GP de Houston: 1º) Gil de Ferran (Penske), 100 voltas em 1h54min42s336; 2º) Dario Franchitti (Green), a 3s430; 3º) Memo Gidley (Chip Ganassi), a 18s847; 4º) Tora Takagi (Walker), a 20s894; 5º) Hélio Castro Neves (Penske), a 21s670; 6º) Cristiano da Matta (Newman-Haas); a 23s102; 7º) Kenny Brack (Team Rahal) a 28s726; 8º) Christian Fittipaldi (Newman-Haas), a 34s421; 9º) Max Papis (Team Rahal), a 38s298; 10º) Patrick Carpentier (Forsythe), a 38s883; 11º) Jimmy Vasser (Patrick), a 39s251; 12º) Tony Kanaan (MoNunn), a 46s539; 16º) Max Wilson (Arciero), a duas voltas; 20º) Maurício Gugelmin (PacWest), a 22 voltas; 22º) Roberto Moreno (Patrick), a 35 voltas; e 23º) Bruno Junqueira (Ganassi), a 48 voltas.Classificação do campeonato: 1º) Gil de Ferran - 163 pontos; 2º) Kenny Brack - 153; 3º) Hélio Castro Neves - 133; 4º) Michael Andretti - 125; 5º) Dario Franchitti - 105; 6º) Cristiano da Matta - 100; 9º) Tony Kanaan - 78; 11º) Roberto Moreno - 74; 13º) Christian Fittipaldi - 61; 16º) Bruno Junqueira - 50; 24º) Maurício Gugelmin - 17; e 25º) Max Wilson - 12.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.