Gil prepara tática para o GP de Laguna

Gil de Ferran é um daqueles pilotos que entendem que uma corrida começa a ser ganha muito antes de o carro ir à pista. Por este motivo, ele já decidiu que a partir desta terça-feira sua principal preocupação será o GP de Laguna Seca, 18.ª e antepenúltima etapa da temporada de F-Indy, marcado para domingo. "Acabou a folga. Vou passar o dia ligando para os engenheiros, discutindo a melhor maneira de conseguirmos um bom resultado no próximo GP. Já vamos começar a discutir detalhes sobre o acerto do carro e algumas outras coisas??, disse o piloto da Penske.Vencedor do GP de Houston, no domingo, de ponta a ponta, e de novo líder da temporada - tem 163 pontos contra 153 do sueco Kenny Brack -, Gil passou a segunda-feira em sua casa em Forth Lauderdale, na Flórida, aproveitando a folga para fazer uma das coisas que mais gosta: ficar com a mulher Angela e os filhos Anna Elizabeth e Luke. "Sou bastante caseiro, adoro ficar com meus filhos, brincar, passear.?? Ele fará tudo isso, mas sem tirar o foco da prova em Laguna Seca, para onde irá na quinta-feira."A partir de agora, todas as corridas terão uma importância extra. As coisas estão começando a sair do jeito que queremos, mas, para que continuem assim, precisaremos marcar o maior número de pontos possível nessas três provas.?? Após o GP na californiana Laguna Seca, a Indy terá etapas na Austrália e em Fontana, também na Califórnia.Agora, apenas seis pilotos estão matematicamente na luta pelo título - Gil, Brack, Hélio Castro Neves (133 pontos), Michael Andretti (125), Dario Franchitti (105) e Cristiano da Matta (100) - e o atual campeão da Indy tem razão quando fala que, apesar de vencer corridas ser o ideal, também é importante somar pontos sempre. Ele chegou entre os cinco primeiros em seis das últimas sete provas e, por isso, pôde assumir a liderança do campeonato.Confiança - Gil vai confiante para Laguna, esperando pelo menos repetir o desempenho do ano passado, quando foi segundo na vitória de Hélio Castro Neves. Mas ele tem consciência de que não terá a mesma facilidade encontrada em Houston, quando, a rigor, no único momento em que poderia ter a vitória ameaçada (por Franchitti), também contou com a sorte, na forma de uma bandeira amarela na volta 79 das 100 programadas. Não fosse isso, ele teria de fazer um splash and go com bandeira verde - havia feito o primeiro reabastecimento na volta 39. "Com a amarela, pude ir ao boxe e reabastecer com mais tranqüilidade. Dei sorte, mas a sorte é sempre necessária?, disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.