Governo francês nega ajuda a organizadores do Rally Dakar

Secretário de Esportes francês diz que organizadores foram corajosos ao cancelar competição

Efe

12 de janeiro de 2008 | 11h34

O Governo francês resolveu não compensar financeiramente os organizadores do Rally Dakar pelas perdas geradas pelo cancelamento da competição, suspensa sob recomendação da própria França por causa das ameaças de ações terroristas na Mauritânia. A decisão foi tomada numa reunião entre os organizadores do Dakar e o secretário de Estado (ministro) de Esportes francês, Bernard Laporte.  Veja também: Federação Boliviana apóia idéia de receber Rally Dakar  Rally Dakar confirma início em Lisboa para edição 2009 Em declarações publicadas neste sábado pelo jornal "Le Parisien", Laporte disse ter sido informado sobre "as pistas e os projetos" que estão sendo elaborados para a edição de 2009 do rali.  Ele esteve com o presidente e o diretor-geral da empresa organizadora do Rally Dakar - a Amaury Sport Organisation (ASO) -, Patrice Clerc e Gilbert Ysern, respectivamente, e também com o diretor da corrida, Etienne Lavigne.  O secretário francês admitiu que todos eles ficaram muito "decepcionados" com a falta de ajuda. Mesmo assim, reconheceu que foram "muito valentes", porque "cancelar (o rali) não foi fácil". O secretário de Estado também frisou que os responsáveis pela ASO são pessoas "decididas" e "positivas", e garantiu seu apoio a eles.

Tudo o que sabemos sobre:
Rally Dakar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.