Governo pode ajudar reformas em Interlagos

O Ministério dos Esportes vai analisar a possibilidade do governo federal repassar recursos para manutenção e melhoria do Autódromo de Interlagos, em São Paulo. O pedido foi feito nesta segunda-feira ao ministro Agnelo Queiroz por Tamas Rohonyi, da organização do Grande Prêmio do Brasil, e pelo administrador de Interlagos, Julio César Lima, em um encontro para tratar da organização do próximo GP, que acontece em outubro. Hoje a manutenção do autódromo corre por conta da Prefeitura de São Paulo. São cerca de R$ 24 milhões por ano. "Interlagos tem um desgaste muito grande por conta de um uso muito pesado. Os investimentos da prefeitura têm diminuído nos últimos anos, mas isso não trouxe prejuízos porque os recursos têm sido muito bem aplicados", disse Rohonyi. No entanto, alegam os organizadores, Interlagos é o único autódromo brasileiro classificado como A pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA). E, hoje, já apresenta problemas nas instalações, consideradas antiquadas. "O ministro demonstrou preocupação com a entrada de dois novos circuitos no campeonato mundial (Barhein e China) e como o Brasil ficaria comparado a esses dois. A China investiu US$ 250 milhões em um autódromo projetado por engenheiros alemães", contou Rohonyi. De acordo com Ricardo Laser, secretário de nacional de esportes educacionais, o ministério vai estudar, daqui até outubro, a possibilidade de haver investimento federal no autódromo. "Temos alguns meses para ver como será possível o ministério colaborar." Os organizadores pretendem, ainda, convidar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para assistir ao GP.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.