GP Brasil terá desafios entre carros

O programa do GP do Brasil de F-1, em 25 de setembro, em Interlagos, incluirá, além de corridas do Troféu Maserati e Fórmula Renault, um desafio de uma volta entre um Fórmula 1 (Williams/BMW) e um carro de rali (Lancia), depois dos treinos de sexta e sábado e antes da prova de domingo. Antônio Pizzonia pilotará a Williams e Ingo Hoffmann, o Lancia. Como no ano passado, a bandeirada de chegada deverá ficar por conta da übermodel Gisele Bündchen.Depois de participar de reuniões do Conselho Mundial, na Europa, o promotor do GP do Brasil, Tamas Rohonyi, disse que a estratégia da Federação Internacional de Automobilismo para todos os continentes assegura a permanência da corrida de Interlagos."A FIA faz questão que seu principal evento esteja em todo o mundo. E o GP do Brasil é o único da América do Sul. Além disso, São Paulo conta com a força de patrocinadores como Shell, Petrobrás, Bridgestone, Toyota que têm interesse no evento", justifica Rohonyi.Bernie Ecclestone confidenciou a Rohonyi que reconhece as deficiências do autódromo paulistano. "Algumas vezes sou criticado na F-1 porque defendo o GP do Brasil. Mas é uma questão de apreço pessoal. Trabalhei com o José Carlos Pace, fui campeão com o Nelson Piquet. Eles marcaram muito minha vida na F-1. E acho o público brasileiro fantástico", disse Ecclestone.Nos próximos anos, a data do Brasil no calendário internacional continuará sofrendo ameaças. Países como México (com projeto de autódromo em Cancun) e África do Sul querem voltar ao Grand Prix. Além de novos países, como Rússia, Índia e Coréia do Sul.Segundo Tamas Rohonyi, a adequação de Interlagos às exigências anuais da FIA é fundamental para preservar a corrida. O dirigente lembra que Bernie Ecclestone tem hoje apenas 25% da F-1 e os bancos, que detém 75%, podem pensar em uma nova alternativa, mais rentável.No fim do mês, Charles Whiting, diretor de segurança da FIA, deverá vistoriar o autódromo para a corrida. Segundo as datas estipuladas, a Prefeitura deve entregar o circuito pronto em 23 de agosto, um mês antes do GP.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.