GP começa para o Brasil com Pizzonia

O GP do Brasil começa mais cedo agora. Com o novo regulamento, nesta sexta-feira, às 8 horas, os pilotos das equipes Renault, sensação do início de temporada, Jaguar, do brasileiro Antonio Pizzonia, Jordan e Minardi já estarão no circuito de Interlagos para as duas horas de treinos extras. Michael Schumacher e Rubens Barrichello vêm dizendo que a falta de vitórias este ano não preocupa a Ferrari, enquanto Juan Pablo Montoya está animado com o verdadeiro novo carro da Williams, que seu time trouxe para São Paulo. Poucas vezes o autódromo esteve tão bem preparado para a corrida como este ano, na 32ª edição do evento. ?Charlie Whiting vistoriou nesta quinta-feira mais uma vez a pista e, diferentemente de outros anos, em que sempre havia algum detalhe para ser alterado, desta vez considerou tudo conforme desejava", disse o diretor de prova, Carlos Montagner. Whiting é o delegado de segurança da Fórmula 1. Talvez até o asfalto do circuirto, sempre bastante criticado, tem chances desta vez de não mais ser a justificativa de várias saídas de pistas ou mesmo quebra de equipamento. ?Claro que perfeito não está, talvez nem exista isso, mas penso que Interlagos melhorou muito com o recapemento de alguns trechos." Nesta sexta-feira os pilotos responderão. Normalmente eles saem do carro reclamando do estado da pista. Nesta quinta-feira no fim da tarde choveu na zona sul da cidade, onde encontra-se o autódromo. Vários pilotos olhavam para o céu e procuravam informações sobre a previsão do tempo para o fim de semana. Jarno Trulli, da Renault, time em forte ascensão, comentou esperar que não chova. ?Os novos pneus Michelin explicam em parte nosso avanço este ano, mas não é segredo que no piso molhado ainda não apresentam a mesma eficiência." E as equipes que podem desafiar a Ferrari, como já fizeram este ano na Austrália e na Malásia, McLaren, Williams e a própria Renault, são times que correm com a marca francesa. O time que mais se preparou para disputar o 32º GP do Brasil foi a Williams, que precisa reagir já no campeonato, pois apesar de todo o investimento realizado no seu projeto, pela própria equipe e a BMW, sua fornecedora de motores, está apenas em quarto entre os construtores, com 14 pontos, atrás da surpreendente McLaren, líder com 26 pontos, Ferrari e Renault, ambas com 16 pontos. ?Estou muito confiante depois do teste que fizemos em Barcelona, semana passada. Penso que o Mundial começará aqui para nós", falou Ralf Schumacher, segundo na prova, ano passado, apenas 588 milésimos de segunso atrás de seu irmão, o vencedor. A Williams finalmente irá estrear o FW25 por inteiro. A nova transmissão e todo o conjunto da suspensão traseira e aerodinâmica finalmente participará de um GP. Nos primeiros testes desse modelo os pilotos relataram problemas de falta de aderência por conta da aerodinâmica. Tudo foi revisto. Ralf testou o carro no Circuito da Catalunha com um novo aerofólio dianteiro e o assoalho, na porção traseira, de desenho bastante avançado, permitido pelas dimensões inpressionantemente reduzidas do novo câmbio. Se a lógica prevalecer, a Williams deverá assumir em Interlagos o papel da McLaren como maior concorrente da Ferrari. O colombiano Juan Pablo Montoya, companheiro de Ralf, piloto com enorme fã clube no País, revelou otimismo também, mas como sempre, foi prudente. ?Estou confiante, mas até que andemos não dá para afirmar nada." Há muitos anos o Brasil não tem pilotos com tão boas chances de um bom resultado na prova. ?Claro que dá para vencer", diz Rubens Barrichello, da Ferrari. ?A falta de vitórias na Austrália e na Malásia não tem nada a ver com uma eventual perda de competitividade da nossa equipe", disse Barrichello. Cristiano da Matta, da emergente Toyota, lembrou que finalmente treinará num circuito em que ?sabe para onde viram as curvas", enquanto Antonio Pizzonia, do que conheceu do seu Jaguar e sabe das características de Interlagos, ?deverá ser melhor que em Melbourne e Sepang." Nesta sexta-feira, depois da sessão de classificação, das 14 às 15 horas, os três terão mais elementos para entender o que podem fazer domingo, nas 71 voltas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.