GP do Brasil 2005 muda data por cigarro

Oficialmente, o GP do Brasil de Fórmula 1 não vai fechar a temporada de 2005 porque a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) optou por antecipar a data da prova para o dia 25 de setembro - será a antepenúltima etapa - para poder encerrar o campeonato na China. Mas um problema legal contou, e muito, para que a corrida em Interlagos não volte a ser realizada no mês outubro, como neste ano: a Medida Provisória que adiou a proibição da propaganda de tabaco em eventos esportivos perde a validade em 30 de setembro de 2005.Nesta quarta-feira, a FIA divulgou o calendário provisório da temporada de 2005, com três das 19 provas dependendo de confirmação - Inglaterra, porque ainda não há acordo financeiro entre os organizadores e a Formula One Management, FOM; França, pois não há garantias financeiras para a realização da prova em Magny-Cours; e San Marino, em função das deficiências do autódromo de Ímola. Além disso, os GPs da Europa, Estados Unidos e China não têm data definida (a Turquia estréia em 21 de agosto).É certo, porém, que os chineses receberão a última corrida do ano. "Eles pediram, a FIA nos consultou e, quando foi proposta a data de 25 de setembro (este ano, a etapa brasileira ocorre no próximo dia 24), eu disse que trocava na hora. E a China ainda nem definiu a data da sua prova, mas quer fazer perto do mês de novembro??, disse Tamas Rohoniy, organizador do GP do Brasil.Sincronia - Ele classifica como "pura coincidência?? o fato de a corrida em Interlagos estar prevista para acontecer cinco dias antes de a MP perder a validade - cinco equipes da Fórmula 1 têm hoje marcas de cigarros entre seus patrocinadores. "E para nós é excelente realizar a antepenúltima prova, pois haverá uma grande chance de o campeonato ser definido aqui??, afirmou Tamas Rohoniy.No entanto, duas pessoas ligadas à organização do GP confirmaram à Agência Estado que a antecipação da data, do mês de outubro para setembro, foi uma forma que a FIA encontrou para evitar problemas como o do ano passado, quando o Ministério Público tentou proibir, por meio de liminar, que as equipes expusessem o patrocínio de cigarro durante os treinos e a prova em Interlagos. A propaganda só foi liberada com a cassação da liminar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.