Estadão
Estadão

GP do Brasil de Fórmula 1 deve ter pista seca e forte calor em Interlagos

Após chuva do sábado, tempo fica firme e previsão de umidade baixa deve afetar preparação dos carros

Felipe Rosa Mendes, O Estado de S.Paulo

12 Novembro 2017 | 10h18

Após a chuva que atrapalhou Lewis Hamilton no treino classificatório, no sábado, o Autódromo de Interlagos amanheceu com céu aberto, sol e calor neste domingo, a poucas horas do GP do Brasil de Fórmula 1. A penúltima etapa da temporada 2017 vai marcar a despedida definitiva de Felipe Massa do circuito paulistano como piloto da F-1.

+ Massa admite chances remotas de pódio em Interlagos

+ Emerson Fittipaldi leva neto Pietro para conhecer Prost

Os termômetros do circuito registravam 38 graus na pista nesta manhã, bem acima dos 26 da tarde de sábado, quando o vento e a garoa esfriaram o clima. Com umidade de 41%, a prova não deve ter qualquer sinal de chuva neste domingo. É provável que, na hora da corrida, a temperatura se aproxime dos mesmos 50 graus que foram registrados na pista durante os treinos livres de sexta-feira

A forte variação climática neste fim de semana está dando trabalho adicional às equipes na definição dos ajustes dos carros. Isso porque os acertos de sábado não devem ser completamente mantidos para este domingo, em razão das temperaturas mais elevadas. Os times devem usar a sexta como referência para obter os melhores rendimentos dos seus carros nesta tarde.

INGRESSOS

Os fãs de automobilismo ainda podem comprar bilhetes para a corrida brasileira, penúltima da temporada 2017 da F-1. Há tíquetes disponíveis apenas para o setor "F", localizado no início da Reta Oposta do traçado. O valor do ingresso, que pode ser adquirido na bilheteria do autódromo, é de R$ 1.400,00, com validade para sábado e domingo.

Em ao menos duas entradas do autódromo, a reportagem do Estado flagrou a atuação de cambistas nesta manhã. Eles tentavam agir de forma discreta na proximidade dos portões de acesso. A expectativa dos organizadores do GP é de que a corrida deste ano registre o melhor público dos últimos cinco anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.