GP do Brasil movimenta US$ 94,5 mi

O impacto do Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 na economia paulistana é de US$ 94,5 milhões, segundo cálculos do São Paulo Convention & Visitors Bureau (SPCVB), que espera repetir este ano a mesma taxa de ocupação hoteleira verificada no período do GP de 2002 ? em alguns hotéis, chegou a 100%. No valor estimado pelo SPCVB estão incluídos despesas como hospedagem, passagens aéreas, compras, gastos com alimentação, contratação de empresas de eventos, marketing dos patrocinadores, transporte terrestre e construção civil, entre outras, de acordo com Roberto Gheler, presidente da entidade. ?Isso sem levar em conta os ganhos indiretos que a cidade obtém com a divulgação de sua imagem no exterior, por conta da transmissão por televisão do Grande Prêmio, bem como a presença de cerca de 600 jornalistas de quase todos os países do mundo.? Gheler estima que 52 setores da economia sejam movimentados com a realização do GP do Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.