Nilton Fukuda/Estadão - 25/9/2005
Nilton Fukuda/Estadão - 25/9/2005

GP do Brasil terá festa para marcar despedida de Fernando Alonso

Organização da prova quer fazer homenagem para espanhol em Interlagos, pista onde piloto ganhou seus dois títulos

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

15 Agosto 2018 | 05h00

O espanhol Fernando Alonso ganhará uma festa de despedida da Fórmula 1 em novembro, durante o GP do Brasil, em Interlagos. Na pista onde confirmou seus dois títulos mundiais na categoria, o piloto da McLaren receberá uma homenagem especial, que começou a ser preparada ontem, logo depois de ele anunciar a despedida da categoria para o fim deste ano.

O bicampeão do mundo publicou um vídeo nas redes sociais intitulado "Querida F1" para oficializar que correrá até o fim da temporada as nove últimas provas da carreira pela categoria. "Hoje, tenho alguns outros grandes desafios, maiores do que você (Fórmula 1) pode me oferecer. E, neste ano, enquanto ainda piloto no meu melhor nível, é como quero me lembrar de você", comentou.

Os organizadores da corrida brasileira querem promover para Alonso uma despedida nos moldes das feitas anos anteriores para Michael Schumacher e Felipe Massa. Entre as ideias iniciais, estão entregar placas comemorativas e dar destaque ao espanhol nas atividades prévias, como no desfile de pilotos e eventos de divulgação.

"Como o Alonso conquistou os dois títulos mundiais no Brasil, queremos marcar essa ocasião", disse ao Estado o promotor do GP, Tamas Rohonyi. O espanhol tem 37 anos e não anunciou em qual categoria pretende correr no próximo ano. A organização do GP já entrou em contato com a McLaren para avaliar possíveis ações. A etapa brasileira está marcada para o dia de 10 de novembro e será a penúltima do Mundial. O encerramento será em Abu Dabi. 

Alonso foi campeão do mundo em 2005 e 2006. Os títulos foram garantidos em Interlagos, com um terceiro e um segundo lugar, respectivamente. Os feitos fazem o Brasil ser um local especial para o piloto. "Amo pilotar no Brasil. É um dos circuitos que tenho algumas das melhores memórias. Apesar de nunca ter vencido uma prova, conquistei o título duas vezes no País", disse ao Estado na prova do ano passado.  

O bicampeão mundial encerrará a carreira na F-1 com o sentimento de que poderia ter conquistado resultados melhores. Foram três vice-campeonatos, 32 vitórias e 97 pódios, o último deles há três anos, quando ainda estava na Ferrari. Alonso está desde 2015 na McLaren e tem sofrido com as limitações do carro. O papel de coadjuvante levou o espanhol a buscar provas em outras categorias para conquistar a Tríplice Coroa do automobilismo. A façanha é dada a quem vence o GP de Mônaco, as 24 Horas de Le Mans e as 500 milhas de Indianápolis, a única faltante ao espanhol.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.