AP Photo/Kevin Hagen
AP Photo/Kevin Hagen

GP do Brasil terá minuto de silêncio após ataques em Paris

Único francês no grid atual da F-1, Grosjean lamenta atentado

FELIPE ROSA MENDES, O Estado de S. Paulo

14 de novembro de 2015 | 11h13

As mais de 120 vítimas dos atentados em Paris, ocorridos na última sexta-feira, serão homenageadas pela Fórmula 1 neste domingo. Antes da largada do GP do Brasil, haverá um minuto de silêncio no Autódromo de Interlagos, em São Paulo.

Os ataques, reivindicados pelo Estado Islâmico, também abalaram o circuito da F1 assim que ganharam as manchetes nos canais de TV e nos portais de notícias. Ainda na noite de sexta-feira, pilotos e equipes se mostraram consternados diante dos seguidos episódios de violência.

Um dos que mais se abalaram com os ataques foi Romain Grosjean. Único piloto francês do grid atual da F1, ele lamentou os ataques nas redes sociais. Neste sábado circulava pelo paddock de Interlagos com uma faixa com a bandeira da França no braço esquerdo. "Do Brasil, pensamos em vocês, em Paris. Paz rápido", disse o piloto da Lotus, em seu perfil no Twitter.

Os atentados de Paris aconteceram na noite passada, em diferentes ruas da região central. Houve explosões e tiroteios nos arredores do Stade de France, onde jogavam as seleções da França e da Alemanha, em amistoso de preparação para a Eurocopa de 2016. De dentro do estádio foi possível ouvir os estrondos que abalaram as redondezas.

O presidente francês, François Hollande, estava presente nas tribunas do estádio. Depois do jogo, ele declarou estado de emergência no país, mandou fechar as fronteiras e ordenou a presença do Exército nas ruas parisienses. Ao todo, 127 morreram na série de ataques. Neste sábado o grupo Estado Islâmico assumiu a autoria dos atentados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.