GP quebra série vitoriosa da Ferrari

Michael Schumacher não deixava de ir ao pódio desde o GP dos Estados Unidos de 2001, portanto há 19 corridas. E a Ferrari tinha retrospecto também impressionante: ao menos um de seus pilotos conquistava um lugar no pódio desde o GP da Europa de 1999, há nada menos de 53 provas seguidas. Mas neste domingo, no circuito Albert Park, a série espetacular de sucesso da equipe foi interrompida. Michael Schumacher chegou em quarto e Rubens Barrichello abandonou ainda na quinta volta em razão de um acidente. "Estou um pouco chateado sim porque não fosse tudo o que aconteceu, chuva, safety car, eu poderia ter vencido", afirmou o alemão. "Não posso esperar, contudo, que as coisas sejam sempre perfeitas como no ano passado, é preciso saber perder, tirar lições da derrota, aceito o resultado", disse. Seus problemas começaram com a escolha errada dos pneus, na largada, comentou. Ele e Barrichello acreditaram que como havia água em parte da pista, a melhor opção seria optar pelos pneus para pista molhada. "Mais tarde, um toque forte na zebra danificou o carro, fazendo-me perder um defletor e um pouco de performance." Diante desses fatores desfavoráveis, falou, somar 5 pontos "foi um bom negócio." O campeão do mundo destacou ainda que só permaneceu atrás da McLaren e da Williams por causa das circunstâncias da prova. "O mais importante para nós foi ter ficado claro que a Ferrari F2002 ainda é muito eficiente, acredito que a McLaren nos passou por causa das inúmeras variáveis deste GP, em que o fator sorte passa a contar bastante." O resultado não irá apressar a estréia do novo modelo F2003-GA. "Não temos motivo para isso. Só o usaremos quando os testes indicarem que podemos confiar totalmente nele." Não há relação entre as muitas emoções do GP da Austrália e o novo regulamento. "Tudo o que aconteceu aqui tem a ver com as condições do tempo e a entrada do safety car na pista duas vezes, não com as novas regras." Ele e o finlandês Kimi Raikkonen, da McLaren, terceiro colocado, levantaram o público na arquibancada numa bela disputa pelo segundo lugar, na 37ª volta, a 11 do final, como há muito não se via na Fórmula 1. O piloto da Ferrari tentou ultrapassar por fora, na curva 1, no fim da reta dos boxes. "Sempre afirmei que Kimi é um grande piloto, hoje confirmou mais uma vez." Schumacher não conseguiu ganhar a posição. Por fim, o alemão falou: "Penso que se Kimi não tivesse de cumprir o drive through (por excesso de velocidade nos boxes, na 39.ª volta) teria vencido, assim como se Juan Pablo Montoya (Williams) não tivesse errado também teria sido o vencedor."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.